O MAM Rio inaugura exposição “Nakoada: estratégias para a arte moderna”, que dialoga com as discussões geradas pelo centenário da Semana de 22.

Com curadoria de Denilson Baniwa e Beatriz Lemos, a exposição propõe novos caminhos para o futuro, reunindo obras modernistas das coleções do MAM, cerâmicas do acervo do Museu do Índio e trabalhos comissionados de Cinthia Marcelle, Mahku (Movimento dos Artistas Huni Kuin), Novíssimo Edgar e Zahy Guajajara, além de um trabalho de Jaider Esbell (1979-2021).

“Nakoada” é uma estratégia de guerra do povo Baniwa da região do Alto Rio Negro para elaborar novas possibilidades de permanência no mundo. Além disso, o conceito orienta a curadoria da exposição que, mais do que propor uma revisão crítica do modernismo, mais também tem o intuito de mostrar pontos de partida alternativos para refletir sobre o que poderia ser uma produção artística que se engaja com alguns dos ideais modernos, mas escapa de suas armadilhas.

“Nakoada é um gesto de retorno. Seria o momento em que as pessoas que foram alvos de ações externas entendem o poder opressor do outro e agora procuram uma possibilidade de retornar à sua própria autonomia”, explica Denilson Baniwa, um dos mais proeminentes artistas da arte indígena contemporânea.

SERVIÇO:
“Nakoada: estratégias para a arte moderna”
Abertura: 9 de julho de 2022
Encerramento: 29 de janeiro de 2023
MAM Rio (Av. Infante Dom Henrique, 85
Aterro do Flamengo)
Horários:
Quintas e sextas, das 13h às 18h
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here