Paulo VitaleO novo livro do fotógrafo Paulo Vitale traz fotografias de 50 Drag Queens que movimentam a cena paulistana desde o fim da década de 80, e artistas iniciantes em suas carreiras. Aliás, o projeto inclui diversas artistas que são referências dessa representação, como Silvetty Montilla, Marcia Pantera, Danny Cowltt, Tchaka, Salete Campari e Lysa Bombom.

O livro mostra as artistas com e sem suas caracterizações, realçando assim o “ilusionismo de gênero” criado pelas personificações das Drag Queens.

As Drag Queens contribuíram para o desenvolvimento cultural e criativo da cidade de São Paulo, uma vez que grandes equipes de artistas, cenógrafos, figurinistas, coreógrafos e DJs começaram a se formar e profissionalizar trabalhando nos shows delas. “Descobri que a grande maioria é tímida e reservada e usa a caracterização como uma roupa de super-heroína, um escudo protetor”, diz o fotógrafo.

“Convidei Drag Queens de vários nichos, amadoras e profissionais, famosas e anônimas, ícones e iniciantes. Meu intuito foi explorar a magia única de cada caracterização, pois, ao usar o próprio corpo como base, essa manifestação artística é visceral e libertadora”, afirma Paulo Vitale.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here