DerlonO artista visual Derlon lança livro com poetas em homenagem às famílias produtoras de algodão do Nordeste.

 Há nove anos, o artista visual Derlon dedicou sua obra a uma residência artística no sertão do Ceará, em áreas de cotonicultura na comunidade de Riacho do Meio. Em homenagem às famílias locais, Derlon pintou as paredes da região e teve essas obras transformadas em lambe-lambes (cartazes artísticos), espalhados por diferentes cidades Brasil afora. Agora, o artista mergulha em uma nova residência no Sertão do Pajeú com cinco renomados poetas do Sertão do Pajeú.

A residência no Ceará se desdobrou em projetos que passaram por Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Paris. O novo projeto é uma continuação desse período, mais de nove anos depois, seguindo o mesmo norte.

Coordenado pela marca VERT, que compra algodão da região há mais de 15 anos, e em parceria com a ONG Diaconia que acompanha as famílias agricultoras, esse trabalho, através da arte da poesia, busca homenagear a convivência das comunidades com o Semiárido.

Sob a curadoria de Derlon, os poetas Alexandre Morais, Elenilda Amaral, Islan, Isabelly Moreira e Zé Adalberto trazem na escrita imersiva a história de vida dos agricultores e agricultoras do sertão nordestino. Várias temáticas foram exploradas, desde o papel fundamental da mulher até a importância da educação, ou do respeito à natureza.

O resultado está em um livro original de poesias, com textos e desenhos criados especialmente durante a vivência no Pajeú. Dessa forma, o livro registra a troca de experiências entre os artistas, e o convívio com os agricultores.

 O livro, produzido pela Editora Impressões de Minas, será lançado ao público, dia 14 de junho, em Recife, no Museu Cais do Sertão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here