- Publicidade -

Festival do Rio 2022 é marcado pela diversidade em premiação

Publicado em:

O Festival do Rio anunciou os premiados da edição 2022, com apresentação de Samantha Schmütz e o ator Ícaro Silva no tradicional Cine Odeon — Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro.

Este ano a competição ficou ainda maior com a criação de duas novas categorias, Direção de Arte na competição oficial e Melhor Direção na mostra Novos Rumos. Ampliando ainda mais o espaço em reconhecimento à diversidade de temas, estilos e pessoas que formam o cinema brasileiro.

A diretora de programação do Festival do Rio, Ilda Santiago, comemorou a presença de tantos realizadores no Festival do Rio 2022 encerra edição com apresentação de Samantha Schmütz e Ícaro Silva. Paulo Gustavo foi homenageado com o Prêmio Suzy Capó., falou da importância da reconexão do público com o cinema, e completou, “que o Festival continue sendo um lugar da inclusão, do acolhimento e onde todos são vistos na tela e respeitados pelo que são”. A diretora Walkiria Barbosa completou falando sobre a riqueza dos debates no Rio Market e o sucesso das rodadas de negócios.

A cerimônia foi aberta com a entrega do Troféu Redentor para os vencedores da Mostra Novos Rumos. Como parte do Prêmio Felix, o ator Paulo Gustavo foi homenageado com o Prêmio Suzy Capó, que será entregue à sua mãe, Dona Déa, pela apresentadora Samantha Schmütz.

Os discursos foram marcados por emoção e falas políticas, não só dos premiados mas também do jurados. A palavra resistência foi repetida várias vezes ao longo da noite, ao lado de termos como diversidade, corpos, representatividade, vozes, gênero, ancestralidade.  Confira os vencedores:

Melhor longa de ficção: Paloma, de Marcelo Gomes (Carnaval Filmes)
Melhor longa documentário: Exu e o Universo, de Thiago Zanato (Em Caliente Films)
Menção honrosa do júri: 7 Cortes de Cabelo no Congo, de Luciana Bezerra, Gustavo Melo e Pedro Rossi
Prêmio Especial do Júri: Mato Seco em Chamas, de Adirley Queirós e Joana Pimenta (Cinco da Norte)
Melhor direção de ficção: Julia Murat, por Regra 34
Melhor direção de documentário: Juliana Vicente, por Diálogos com Ruth de Souza
Melhor fotografia: Joana Pimenta, por Mato Seco em Chamas
Melhor roteiro: Carolina Marcowicz, por Carvão
Melhor direção de arte: Marines Mencio, por Carvão
Melhor montagem: Matheus Farias, por Propriedade
Melhor atriz coadjuvante: Aline Marta, por Carvão
Melhor ator coadjuvante: Timothy Wilson, por Fogaréu
Melhor ator: Dario Grandinetti, por Bem-vinda, Violeta!
Melhor atriz: Kika Sena, por Paloma
Melhor curta: Escasso, de Clara Anastácia e Gabriela Gaia Meirelles
Premiere Brasil Novos Rumos
Melhor longa: Três Tigres Tristes, de Gustavo Vinagre
Melhor direção: Leonardo Martinelli por Fantasma Neon
Prêmio Especial do Júri: Maputo Nakuzandza, de Ariadine Zampaulo
Melhor curta: Curupira e a Máquina do Destino, de Janaina Wagner
Prêmio Felix
Melhor Filme Brasileiro: Paloma, de Marcelo Gomes
Melhor Documentário: Corpolítica, de Pedro Henrique França
Menção Honrosa: Não é A Primeira Vez que Lutamos pelo Nosso Amor, de Luis Carlos de Alencar
Melhor Filme Estrangeiro: Meu Lugar no Mundo (Mi Vacío y Yo), de Adrián Silvestre
Prêmio Especial do Júri: Fogo-Fátuo, de João Pedro Rodrigues
Homenagem – Prêmio Suzy Capó Personalidades do Ano para o ator e comediante Paulo Gustavo, in memoriam

Rota Cult
Rota Cult
Redação do site E-mail: contato@rotacult.com.br

Mais Notícias

Nossas Redes

2,459FansGostar
216SeguidoresSeguir
125InscritosInscrever
3.870 Seguidores
Seguir
- Publicidade -