- Publicidade -

“Hollywood de papel” é lançado durante Festival do Rio

Publicado em:

"Hollywood de papel"“Hollywood de papel” é um retrato íntimo do cinema americano, uma fabulosa radiografia dos verdadeiros ossos, músculos e nervos de um filme: o roteiro. O livro permite ao leitor mergulhar nos segredos da criação de filmes imortais e nos revela roteiros escritos, mas não filmados. Quantas possíveis obras-primas nunca saíram da gaveta?

O que poderia ter sido uma filmografia hollywoodiana mais crítica, plural e libertária, povoada por gêneros fílmicos hoje inimagináveis, e criada por uma maioria de mulheres?

Revelando roteiros inéditos não filmados de grandes autores, pesquisados incansavelmente por Pablo Gonçalo nos Estados Unidos, Brasil e Alemanha há mais de seis anos, “Hollywood de papel” conta uma outra história do cinema clássico norte-americano.

“A Hollywood que vou descobrindo é muito mais amoral, brincalhona e próxima da Hollywood nada pacata de “antes do código Hays”. Aquela Hollywood de alguma forma continuou nesses autores, nos roteiros que foram filmando”, afirma o autor.

Professor de cinema na Universidade de Brasília (UnB), Pablo elegeu três dos grandes roteiristas da história do cinema, nomes que surgiram no contexto norte-americano do “entre-guerras”, para investigar a fundo os bastidores da maior indústria cinematográfica mundial e seus mecanismos de autocensura.

A pesquisa inédita de Pablo Gonçalo sobre Ben Hecht (1894-1964), Billy Wilder (1906-2002) e Frances Marion (1888-1973) analisa roteiros de filmes arquivados em diferentes estágios de desenvolvimento e seus processos de censura e impedimento. O livro revela o avesso de um período incontornável da história de Hollywood, expondo originais, correspondências e relatórios sigilosos que tocam temas sensíveis da história como o antissemitismo, o lugar da mulher na sociedade e o papel do autor na indústria da sétima arte. As variadas formas de manobra para driblar a autocensura da maior potência cinematográfica mundial detalham as disputas e resistência dos roteiristas, autores de clássicos hollywoodianos.

Segundo o autor, a pesquisa foi aprofundada em 2019 em arquivos dos Estados Unidos. A pesquisa é calcada nos arquivos e na pesquisa histórica sobre muitos filmes. Além de encontrar diversos roteiros inéditos destes três nomes, vi que eles formavam um campo estético fascinante e são bem representativos de Hollywood.” diz Pablo que se encantou, principalmente, pelas trajetórias dos roteiristas.

A obra chega em primeira mão ao Rio de Janeiro durante o Festival do Rio, no dia 11 de outubro, às 19h, na Livraria da Travessa de Botafogo, com a presença do pesquisador Hernani Heffner (Mam Rio).

 O livro também vai ser lançado em São Paulo, no dia 9 de novembro, no XXV encontro da Socine (Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual), que acontecerá na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Depois será a vez de Brasília, onde o autor é professor de cinema na Universidade de Brasília (UnB).

Rota Cult
Rota Cult
Redação do site E-mail: contato@rotacult.com.br

Mais Notícias

Nossas Redes

2,459FansGostar
216SeguidoresSeguir
125InscritosInscrever
3.870 Seguidores
Seguir
- Publicidade -