- Publicidade -

Alberto Pitta, pioneiro em indumentárias, lança o livro

Publicado em:

Alberto PittaArtista multimídia, fundador do Cortejo Afro e consagrado pelas estampas que colorem os blocos-afro de Salvador, Alberto Pitta lança o livro “Histórias Contadas em Tecidos: O Carnaval Negro Baiano”.

O livro debruça-se sobre a rica trajetória de Alberto Pitta desenvolvendo trabalhos de pesquisas e criações artísticas, como um dos pioneiros na criação do que hoje se conhece por estampas afro baianas, utilizando-se de símbolos, ferramentas, indumentárias e adereços dos orixás como fonte de inspiração.

A pesquisa do contexto histórico e cultural do Carnaval Negro Baiano e o trabalho na produção de estampas realizado pelo artista ao longo dos últimos 40 anos são perpassados no livro, trazendo histórias de blocos clássicos como Ilê Aiyê, Apaches do Tororó, Malê Debalê, Muzenza, Os Commanches do Pelô, Olodum, Araketu, Os Negões, Bloco da Capoeira, Afoxé Filhos do Congo, Afoxé Filhos de Gandhy, Cortejo Afro, dentre outros, que fizeram e fazem a história e a cultura negra soteropolitana.

Desde o surgimento dos primeiros blocos Afro, a exemplo do pioneiro Ilê Aiyê, os tecidos das fantasias são a base para o desenvolvimento da temática de cada grupo. Pitta descreve como os panos das mortalhas cumprem a função de disseminar esses temas. Contos e lendas africanas e afro baianas, histórias de reinados, tribos e de países africanos como Angola, Benin, Egito, Marrocos, Senegal, entre muitos outros, são difundidos, transformando os tecidos em ferramentas de aprendizagem.

Contar um pouco sobre esse legado e registrar em uma publicação, é algo de fundamental importância para a história e memória do Carnaval de rua da Bahia, reafirmando assim, o compromisso estético desses blocos com a ancestralidade, usos e sentidos de uma herança diaspórica.

Com lançamento marcado para o dia 11 de dezembro, às 15h, na Carmo Johnson Projects, no Pacaembu. Aliás, no mesmo dia, às 17h, o artista participa de um bate papo sobre a publicação com Renato Menezes, historiador de arte e curador da exposição eternidade soterrada, que Pitta realizou entre maio e junho no mesmo espaço.

Rota Cult
Rota Cult
Redação do site E-mail: contato@rotacult.com.br

Mais Notícias

Nossas Redes

2,459FansGostar
216SeguidoresSeguir
125InscritosInscrever
3.870 Seguidores
Seguir
- Publicidade -