- Publicidade -

“Pasmado” transforma lajes em palcos, na Vila Aliança

Publicado em:

Pasmado
Foto: Leonardo Lopes

Mesclar uma parte de nossa história com a memória afetiva e a experiência de quem viveu tudo isso na pele, é uma das propostas da montagem “Pasmado” que passará por cinco lajes que se transformarão em cinco palcos.

Aproximando arte da vida cotidiana da Vila Aliança, na Zona Oeste, moradores cederam depoimentos para a construção da narrativa criada pelos diretores Priscila Bittencourt e Luiz Fernando Pinto.  Aliás, segundo os diretores, os anfitriões e seus vizinhos terão a oportunidade de não só assistir a um espetáculo profissional, mas também de se reconhecer na obra artística.

A montagem contará com recurso de acessibilidade, através da participação de um intérprete de Libras. Com trilha musical elaborada exclusivamente para o espetáculo, o público será envolvido por paisagens sonoras, a partir das ambiências da cidade. Ao final de cada encenação, um jantar será oferecido pela produção do projeto, com o intuito de gerar um bate-papo informal e descontraído sobre a experiência artística entre o público, os atores e a equipe técnica.

O espetáculo conta a história dos irmãos João e Zezé que moram no Morro do Pasmado, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro. A década é 60, ápice da política de remoções de favelas cariocas, onde mais de 176 mil pessoas foram deslocadas para conjuntos habitacionais construídos na Zona Oeste da cidade. A ação, denominada “Aliança para o Progresso”, foi um projeto político executado pelos governos do Brasil e dos Estados Unidos durante a presidência de John F. Kennedy.

Muitas comunidades surgiram, algumas foram incendiadas e parte de seus líderes desapareceram. Após o falecimento da mãe, os irmãos herdam “Jurema”, um móvel que acreditam ser muito valioso. João foi contratado recentemente como contínuo em um prédio público no Rio. Zezé tira seu sustento atuando como boleira em uma padaria no Pasmado. Com a notícia de um projeto de remoção dos moradores do Morro, a relação entre os irmãos é colocada à prova. A dinâmica entre a narrativa e os atores é permeada por casos ocorridos no processo de remoções do Rio de Janeiro em diversos momentos de sua história.

Vale ressaltar que o texto original da peça foi escrito por Luiz Fernando Pinto, nascido e criado na comunidade da Zona Oeste. Após conversar por horas com a sua avó, a mineira Maria das Graças Marques Pereira, que saiu de sua terra natal para buscar uma vida com mais possibilidades no Rio de Janeiro, ele foi ouvir outros moradores para conhecer as experiências vividas durante o período da remoção. A relação com o território e com as pessoas foi imprescindível para a construção de um material com depoimentos de moradores, fotografias, recortes de jornal e documentos da época.

Pasmado foi produzido pela Associação Cultural Peneira, uma organização social que atua na área da cultura e se estrutura como uma trama articulada na cidade do Rio de Janeiro. Com objetivo de desenvolver formas inovadoras de compartilhar conhecimento e potencializar criações artísticas e culturais, valorizando a memória e saberes daqueles que constroem a metrópole cotidianamente fabulando outras territorialidades.

Serviço:
Espetáculo “Pasmado”
Dias: 14, 15, 16, 17 e 18 de dezembro | Horário:18h30
Local: Lajes de moradores da Vila Aliança, na Zona Oeste do Rio
Entrada gratuita
Lotação máxima: 30 pessoas por sessão
Ingressos antecipados, por meio do telefone (21) 97205-0842 ou pelo e-mail contato@peneira.org

Rota Cult
Rota Cult
Redação do site E-mail: contato@rotacult.com.br

Mais Notícias

Nossas Redes

2,459FansGostar
216SeguidoresSeguir
125InscritosInscrever
3.870 Seguidores
Seguir
- Publicidade -