Quem diz que Liv Tyler não tem talento é porque certamente nunca assistiu a “Beleza Roubada“. A moça dá um verdadeiro show em um filme sensível e tocante, com a maestria do premiado diretor Bernardo Bertolucci.

Em Beleza Roubada, Liv prova de ser uma das mais talentosas da atualidade. A história é bastante simples, após a morte de sua mãe, Lucy parte para a Toscana com as intenções de conhecer seu pai e reencontrar seu primeiro amor, com quem pretende perder a virgindade.

Ao chegar, Lucy reencontra pessoas do passado de sua mãe, capazes de influenciar em sua vida também. Sua beleza estonteante contagia à todos em sua volta, ao mesmo tempo que tenta decifrar o enigma de seu verdadeiro pai.

Todas as cenas se encaixam na projeção, mostrando várias verdades da vida, como nenhuma pessoa é o que realmente aparenta ser, e também a dura busca pela maturidade. Mensagens fortes, traduzidas em cenas também brilhantes!

Cada novo personagem é apresentado como se fosse prioridade no filme. Com um roteiro bem construído, que deu força a todos os personagens se encaixarem nessa empolgante busca de Lucy, o filme envolve cada vez mais o espectador!

Com closes bem indiscretos e que arrancam suspiros do espectador, Bertolucci, premiado por diversas organizações, faz aqui um trabalho menos reconhecido, mas brilhantemente filmado! Sua direção explora os detalhes e, com um ritmo lento e seguro, vai envolvendo o espectador com os personagens, sem deixar a projeção jamais ficar monótona.

Comovente, cheio de surpresas e sensibilidade, conquista o público em seu primeiro olhar!

O elenco, conta com a bela Rachel Weisz em um papel muito envolvente. Jeremy Irons comove como um homem à beira da morte e que se apaixona por Lucy. Ainda assim o show é de Liv! Ela arranca suspiros com sua beleza e ainda consegue uma atuação sensível e conquistadora, que é trágica e alegre ao mesmo tempo. Depois dessa ninguém mais terá coragem de criticá-la.

“Beleza Roubada” é um filme profundamente intimista com desfecho sensível, agradável, emocionante e que conquista o público!

Bertolucci é um cineasta ousado, que gosta de movimentos de câmera sofisticados, roteiros inteligentes e não tem medo de experimentar.

O filme que concorreu a Palma de Ouro em Cannes em 1996, conta com a incrível fotografia de Darius Khondji, que mostra uma Toscana calorosa, com um belíssimo jogo de cores!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here