Quem for ao cinema esperando ver muitas cenas de sexo ou nudez como sugere o trailer e o título do filme vai se decepcionar. Classificado com censura para maiores de 16 anos, “Sex tape” é mais uma daquelas comédias medianas americanas que tem boas esquetes e momentos divertidos, mas que no todo não pode ser considerada uma boa comédia de gênero, até porque não se chega a uma conclusão: se o filme é uma comédia romântica ou uma comédia para adultos propriamente dita.
 
O filme é dirigido por Jake Kasdan e tem como protagonistas e chamarizes da trama Cameron Diaz e Jason Segel na pele do casal em crise Annie e Jay. Após alguns anos e com a chegada de dois filhos, o casamento esfria e eles se dão conta de que não têm mais relações sexuais há meses. O casal então, decide então fazer algo para apimentar a relação e gravam um vídeo caseiro do momento em que conseguem ter uma noite de sexo (daí o título “Sex tape”, cujo subtítulo brasileiro é totalmente dispensável). Por um acidente, o vídeo vai parar na “nuvem” dos arquivos de Jay e todos os amigos do casal passam a ter o vídeo em seus iPads cuja “nuvem” é compartilhada. A partir de então começa uma infindável gama de situações em que o casal se mete para tentar apagar o tal vídeo. Nada muito diferente do que o que já foi visto em tantos outros filmes desse estilo como “Uma noite fora de série” (2010) ou “Uma noite no museu” (2006).
 
O roteiro, apesar de ralo e previsível, é bem amarrado. Mas o ponto alto do filme fica por conta da participação de Rob Lowe e sua casa cheia de referência a outros filmes que é um deleite para os cinéfilos. Quando a melhor parte do filme fica a cargo de uma personagem coadjuvante não é muito difícil prever que ele facilmente se perderá no ostracismo. No entanto, para aqueles que gostam destas comédias em que todas as coisas mais escabrosas e inimagináveis acontecem em uma única noite, esse filme aqui é uma boa pedida. Mas não se engane, “Sex tape” não vai além disso e não faz qualquer tipo de reflexão acerca de problemas nos relacionamentos ou como usar as mídias virtuais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here