Nesta quinta-feira, 17, às 19h, acontece a pré-estreia de Orestes, novo filme do diretor e jornalista Rodrigo Siqueira. O documentário investiga como a ditadura militar deixou marcas profundas nas narrativas oficiais e na subjetividade dos brasileiros. Documentário e ficção compõem um Brasil de verdades simuladas. Após a sessão, acontece um debate com o realizador e Luiz Eduardo Soares, antropólogo e cientista político.
Em 458 a.C., Ésquilo, poeta e dramaturgo grego, encenou a trilogia Oréstia. A tragédia culmina com o julgamento de Orestes, que matou a própria mãe para vingar a morte do pai. A sua absolvição pelo júri de atenienses colocou fim ao olho por olho, dente por dente e converteu as Erínias, deusas da vingança, em Eumênides, defensoras da democracia, um marco civilizatório na cultura ocidental.
Orestes, o filme, apropria-se da história de Ésquilo e promove o seu encontro com a história do Brasil. E se Orestes fosse brasileiro, filho de uma militante política e de um agente da ditadura militar infiltrado? E se, aos seis anos, ele tivesse visto sua mãe ser torturada e morta pelo pai? E se este mesmo Orestes, 37 anos depois, matasse o pai, um torturador anistiado em 1979, durante o processo de redemocratização?
O coro dessa tragédia documental à brasileira é composto por um grupo de pessoas vítimas da violência policial, vítimas da ditadura e da sociedade civil. Reunido em sessões de psicodrama, o grupo faz aflorar, sem filtros, situações e falas que normalmente não são ditas publicamente. É por meio do coro que os ritos da justiça são postos frente a frente com as paixões mais profundas do brasileiro comum, é no psicodrama que o presente olha para os traumas do passado.
As feridas deixadas pelo nosso violento e muitas vezes velado ou dissimulado processo histórico, permeiam o filme. As marcas da repressão nos anos 1970 encontram as marcas da violência policial de hoje. A verdade histórica é posta em xeque, as narrativas oficiais são desconstruídas, o fato e a versão são acareados, a justiça é posta em dúvida.
 Ficha técnica
Orestes
Brasil, 2015, 93 min, cor, DCP
Sinopse: Orestes é uma adaptação da tragédia grega de Ésquilo para a realidade brasileira. Com um júri simulado e uma série de psicodramas, Orestes coteja dois momentos da nossa história: a ditadura militar dos anos 1970 e o presente, da violência policial.
Direção e roteiro: Rodrigo Siqueira
Fotografia: Leo Resende Ferreira
Montagem: Lessandro Sócrates e Rodrigo Siqueira
Editor de som: Miriam Biderman
Som direto: Celio Dutra
Produtora: 7Estrelo Filmes
Ingresso
R$ 22,00 (inteira) e R$11,00 (meia)
Ingressos disponíveis também em www.ingresso.com
Disponibilidade de ingressos sujeita à lotação da sala.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here