Diego é um recém formado estudante de cinema que por falta de oportunidade no mercado de trabalho tem trabalhado filmando casamentos.  Em meio a essa crise, ele ainda tem que enfrentar sua complicada relação com as mulheres por conta da sua insegurança e frustrações da vida.

“A bruta flor do meu bem querer”  é um interessante filme autoral sobre  verdades íntimas e cruéis e as possibilidades de se apaixonar pela vida.

O personagem principal pincela a tela do cinema com  uma certa melancolia no olhar por conta do desejo de afirmação masculina sobre as mulheres.

O filme  que de clichê o filme não tem nada, cita referências a filmes antigos como “Bonequinha de luxo” ao se referir a insegurança do personagem que vive uma paixão platônica.

Com autenticidade no roteiro e na direção, o filme traz em alguns momentos uma fotografia psicodélica que transpõe a relação com as drogas. 

A partir do título, extraído da canção de Caetano (O Quereres), a trilha sonora passeia por Elis Regina (20 Anos Blues), Gal (Baby), Caetano (It’s a Long Way).


DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here