Haverá exibição de longas, médias e curtas-metragens de diversos países e bate-papos com cineastas e acadêmicos

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 14 de junho a 3 de julho (terça-feira a domingo), a mostra Cinema Político: O poder da imagem, que exibirá 45 filmes produzidos em diversas épocas, de temas e gêneros variados e que abordam questões relevantes e históricas da sociedade contemporânea. Na noite de abertura, serão apresentados filmes mudos de dois diretores essenciais da cinematografia mundial – 1968, de Glauber Rocha, e Tempos Modernos, de Charles Chaplin – com acompanhamento de música ao vivo (músicos Negro Leo e Tata Ogan). A mostra tem patrocínio da CAIXA e Governo Federal, e curadoria de Alessandra Castañeda.

A mostra terá uma programação complementar, de 27 a 30 de junho, às 21h, no Estação NET Botafogo – Sala 1, com exibição de clássicos como Laranja Mecânica (1971), de Stanley Kubrick, e A Marca da Maldade (1958), de Orson Welles.

Nos dois locais, sempre será exibido um curta antes de um média ou longa-metragem, cumprindo a Lei do Curta, em um total de 21 curtas e 24 médias e longas-metragens. No momento atual, em que a política é um assunto muito discutido por todos, a sala de cinema será um lugar privilegiado para instigar o público a refletir e conversar sobre temas como a luta de classes, o contraste social, o papel da mídia, segurança pública, o racismo, revoluções e manifestações populares. Entre os títulos, a mostra apresenta dez títulos em película, buscando contribuir para a preservação da película em meio à revolução digital.

A mostra terá destaques como os longas-metragens brasileiros premiados Eles não usam black tie (1981), de Leon Hirszman, Serras da desordem (2006), de Andrea Tonacci, e O som ao redor (2012), de Kleber Mendonça. Haverá, ainda, a exibição de obras de diretores internacionais como Faça a coisa certa (1989), do afro-americano Spyke Lee, Panteras negras, de Agnes Varda, e Um filme como os outros, de Jean-Luc Godard, realizados na França no efervescente ano de 1968. A seleção de curtas abre espaço para filmes que utilizam a internet como plataforma de divulgação, incluindo obras marcantes como Ilha das Flores (1989), de Jorge Furtado, e Arraial do Cabo (1959), de Paulo Cezar Saraceni.

“Falar sobre temas políticos é de extrema importância para a nossa construção social. E a arte tem um papel relevante na história da humanidade, se comunicando de forma direta ou lúdica com as mais diferentes pessoas de todas as classes sociais. Em Cinema Político: o poder da imagem vamos dialogar com assuntos contemporâneos, resgatar clássicos, descobrir raridades, debater sobre fazer cinema de resistência, sobre a relação do Estado com a arte e o poder da mídia. A ideia é que a mostra seja um espaço de convivência e de reflexão”, comenta a curadora e produtora da mostra Alessandra Castañeda.

Programação

ESTAÇÃO NET BOTAFOGO – SALA 1
27 de junho (segunda-feira) – 21h
Proibidão (2015), de Ludmila Curi e Guilherme Arruda, Brasil, Digital, 13 min, 14 anos.
Faça a coisa certa (1989), de Spike Lee, EUA, Digital, 120 min, 14 anos.

28 de junho (terça-feira) – 21h
Ameaçados (2014), de Julia Mariano, Brasil, Digital, 22 min, 14 anos.
Laranja Mecânica (1971), de Stanley Kubrick, EUA, Digital, 136 min, 18 anos.

29 de junho (quarta-feira) – 21h
Ritmos de Resistência (2013), de Jason O’Hara, Canadá/Brasil, Digital, 29 min, 14 anos.
A Marca da Maldade (1958), de Orson Welles, EUA, Digital, 100 min, 16 anos.

30 de junho (quinta-feira) – 21h
Levante a sua voz (2013), de Pedro Ekman, Brasil, Digital, 17 min, livre.
Dr. Fantástico (1978), de Stanley Kubrick, EUA, Digital, 95 min, 14 anos.

Preço:
Seg/Ter/Qui: R$26,00 (INTEIRA) E R$13,00 (MEIA)
Qua: R$20,00 (INTEIRA) E R$ 10,00 (MEIA)

Mais informações:
www.mostracinemapolitico.com.br
www.caixacultural.gov.br

SOBRE OS FILMES:

Proibidão – documentário

A partir da trajetória do MC Smith, jovem morador do Complexo de favelas da Penha, na Zona Norte do Rio de Janeiro, o filme busca entender o fenômeno do funk proibido, sua origem e sucesso.

Faça a Coisa Certa/Do the Right Thing – Drama

Elenco: Danny Aiello, Ossie Davis, Ruby Dee, Spike Lee
Em um bairro onde a maioria é predominantemente negra, Buggin’ Out, um ativista, exige que Sal, um dono de uma pizzaria, troque as fotos de seus ídolos brancos do local por fotos de ídolos negros. Quando tem seu pedido negado, o ativista passa a organizar um boicote contra a pizzaria de Sal.

Ameaçados – Documentário
No Brasil profundo, onde a lei e a justiça dependem de nome e sobrenome, a luta por um pedaço de terra vira uma questão de vida ou morte. “Ameaçados” mostra pequenos agricultores do sul e sudeste do Pará que lutam por um pedaço de terra para plantar e viver.

Laranja Mecânica – Drama, Ficção Científica

No futuro, o violento Alex (Malcolm McDowell), líder de uma gangue de delinquentes que matam, roubam e estupram, cai nas mãos da polícia. Preso, ele recebe a opção de participar em um programa que pode reduzir o seu tempo na cadeia. Alex vira cobaia de experimentos destinados a refrear os impulsos destrutivos do ser humano, mas acaba se tornando impotente para lidar com a violência que o cerca.

Ritmos de Resistência – Documentário

Um olhar sobre as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) através dos discursos politizados de artistas de algumas comunidades cariocas. Entre eles, está o músico Cathola, preso e baleado pela polícia logo após a implantação da UPP da favela do Cantagalo, onde vive. Com músicas e performances que tematizam a exclusão social e violência policial, esses artistas discutem a retórica da pacificação e questionam em que medida a chegada das UPPs não representa uma intensificação da criminalização da pobreza.

A Marca da Maldade – Drama, Policial

Ao investigar um assassinato, Ramon Miguel Vargas (Charlton Heston), um chefe de polícia mexicano em lua-de-mel em uma pequena cidade da fronteira dos Estados Unidos com o México, entra em choque com Hank Quinlan (Orson Welles), um corrupto detetive americano que utiliza qualquer meio para deter o poder.

Levante sua Voz – Documentário

Vídeo produzido pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social com o apoio da Fundação Friedrich Ebert Stiftung remonta o curta ILHA DAS FLORES de Jorge Furtado com a temática do direito à comunicação. A obra faz um retrato da concentração dos meios de comunicação existente no Brasil.

Dr. Fantástico – Comédia, Guerra

Um general americano acredita que os soviéticos estão sabotando os reservatórios de água dos Estados Unidos e resolve fazer um ataque anticomunista, bombardeando a União Soviética para se livrar dos “vermelhos”. Com as comunicações interrompidas, ele é o único que possui os códigos para parar as bombas e evitar o que provavelmente seria o início da Terceira Guerra Mundial.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here