Entrevistamos o cineasta Pablo Martínez Pessi, que participa da Mostra Cine Uruguai com a oficina de Produção Executiva com entrada franca. As senhas serão distribuídas a partir das 17h, no dia do evento, na bilheteria da CAIXA Cultural. Confira abaixo a entrevista:

Podemos considerar que a mostra é uma homenagem ao cinema uruguaio? Qual é a importância dela culturalmente?

Pablo – Para os realizadores uruguaios, é sempre muito importante que os filmes sejam exibidos internacionalmente, porque através deles não só representamos nossa cultura, idiossincrasia e nossa identidade, como também nossos sentimentos e manifestações artísticas são refletidos. Neste caso, não creio que seja uma homenagem, mas sim uma grande oportunidade para que os irmãos brasileiros tenham a oportunidade de conhecer nossa cinematografia em uma mostra bastante completa sobre o cinema uruguaio, que através dele poderão assistir parte da nossa história, que tem muitos pontos em comum com a história do Brasil.

O cinema tem relevância cultural no Uruguai? Tem influência direta da educação do país?

Pablo – Lamentavelmente, o Uruguai está passando por um momento em que os uruguaios não assistem ao cinema nacional. A influência do público uruguaio para ver filmes uruguaios é muito pouca. Isso não acontece só no Uruguai, outros países da América Latina têm o mesmo problema. A indústria de cinema norte-americana e as grandes cadeias cinematográficas, muitas das quais também são distribuidoras, pouca a pouco ensinaram ao nosso povo que o melhor cinema é o norte-americano, quando sabemos que em nossos países se filmam muitos filmes bons. Se o nosso povo não assiste ao nosso cinema, não há influência direta na educação e na cultura do país. Para que isto aconteça, é importante que nossos governos apoiem o cinema com políticas culturais e regulamentação na exibição de filmes norte-americanos. Se o cinema nacional for mostrado ao nosso povo, ele entenderá a sua importância. Tive muitas experiências lindas ao exibir “Tus padres volverán” a jovens estudantes da educação secundária. Os jovens se interessam pela nossa história e nosso cinema, mas devemos ter um respaldo do nosso governo para poder chegar a eles. Se conseguimos fazer com que vejam cinema uruguaio ou latino-americano, estaremos formando novos e futuros espectadores.

Como foi seu primeiro contato profissional com o cinema?

Pablo – Estudei cinema em Montevideu, onde filmei vários curtas-metragens, mas recentemente, em 2006, filmei meu primeiro longa-metragem documental “Desde las aguas”, que, por dificuldade de financiamento, estreou no final de 2009. Nesse tempo, comecei a pesquisar sobre meu segundo filme documental “Tus padres volverán”, que terei o prazer de apresentar na mostra. De 2009 em diante, tive a oportunidade de seguir crescendo como profissional, realizando vários cursos de produção, roteiro e direção no Uruguai, México, Cuba e Espanha. Formei-me como produtor executivo e diretor. Desde então, desenvolvo meus próprios projetos tentando conseguir algo muito difícil: mostrar meus sentimentos através de uma narrativa atrativa e interessante, contar histórias que não interessam só a mim, pensando que o cinema não é somente meu, e sim de todos, e, para tanto, tenho que pensar que estas histórias são contadas para deixar algo positivo em cada uma das pessoas que decide ocupar o seu tempo vendo meus filmes. Por último e não menos importante, entender que o cinema, além de arte, é um negócio.

Debate “O cinema político no Uruguai”
Com o cineasta Pablo Martínez Pessi e  Leonardo Luiz Ferreira, assistente da curadoria e crítico de cinema
Data: 19 de agosto (sexta-feira), às 18h45

Oficina gratuita “Produção executiva – estudo de caso do documentário Tus Padres Volverán”
Data: 20 (sábado), às 14h.
As inscrições para a oficina devem ser feitas com antecedência pelo e-mail: oficina@mostracineuruguai.com.br

Serviço:
Mostra Cine Uruguai
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1 (Av. Almirante Barroso, 25, Centro – Metrô: Estação Carioca)
Data: 09 a 21 de Agosto de 2016 (terça-feira a domingo)
Horários: Consulte programação
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Lotação: 78 lugares (mais 3 para cadeirantes)
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Classificação Indicativa: Consulte a programação
Acesso para pessoas com deficiência

Tradução por Raíssa Rossi

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here