harry-e-sallyJá se passaram 27 anos que Harry e Sally – Feitos um para o Outro foi lançado e até hoje faz um sucesso absurdo pelo mundo, por conta de sua temática e inteligência em conduzir uma comédia romântica que faz espectador pensar a partir de fatos do cotidiano.

Dirigida por Rob Reiner e estrelada por Billy Crystal e Meg Ryan , o filme conta a história de seus personagens a partir da formatura de Harry Burns na Universidade de Chicago, ao dar uma carona para Sally Albright, numa viagem de Chicago para Nova Iorque, onde passam a se encontrar esporadicamente por 12 anos. Porém, a grande amizade que desenvolveram é abalada ao perceberem que na verdade estão apaixonados um pelo outro.

No começo, sem nenhuma intimidade, eles não conseguem engatar uma conversa. Pior, discordam em todos os pontos. Eles se encontram novamente anos depois, com Harry abandonado pela mulher e Sally tendo acabado de terminar um relacionamento. Pela primeira vez, os dois parecem ter algo em comum. Com a amizade, surge então um dilema a partir do momento em que um se sente atraído pelo outro.

A produção de 1989 levanta a questão “Pode homens e mulheres sempre apenas ser amigos?” e avança muitas idéias sobre as relações que se tornaram conceitos domésticos.

Os diálogos são inteligentes, mas é impossível não comentar que o que torna o longa-metragem memorável são algumas sequências, como a que Meg Ryan finge um orgasmo. A cena foi gravada em um restaurante em Nova York. No mesmo local, atualmente, há uma placa que diz: ‘Parabéns, você está sentado onde Harry conheceu Sally’.

A produção rendeu mais de US$ 90 milhões e faturou Bafta de roteiro original. O filme foi também indicado ao Oscar na categoria Melhor roteiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here