Quem me conhece sabe que sou um dos defensores do nosso cinema nacional, principalmente do promissor cinema de gêneros, que dê certa forma consegue circular fora do universo de ‘’Globochanchadas’’ e afins, mas é por esse tipo de filme que o descrédito do publico com o nosso cinema sempre esta em alta. Gostosas, Lindas e Sexies é um dos exemplares mais deploráveis dos últimos anos, e falarei aqui em respeito ao nosso caro leitor que passe longe, muito longe desse filme.

Partindo da premissa bem atual e até interessante, ter protagonistas mulheres que fogem do “padrão de beleza”. E principalmente mostrar que alguém com alguns quilos a mais pode ter auto-confiança, e ser feliz em sua vida no âmbito geral ( aqui no sexo, principalmente ). Isso tudo é refletido na historia de quatro grandes e inseparáveis amigas: Beatriz, Tânia, Ivone e Marilu. Elas vestem manequim plus size e enfrentam todas as aventuras e desencontros amorosos e profissionais (quase) sempre de bom humor.

O diretor Ernani Nunes tenta emular a famosa e consagrada série Sex and the City, só que sem o glamour e com doses cavalares de breguice. O filme é uma sucessão de piadas totalmente ridículas, o arco dramático das protagonistas e risíveis ( com um pouco mais de presença para a personagem da Beatriz, interpretada por Carolina Figueiredo ), as soluções adotadas para elaborar e solucionar os conflitos, atestam que o expectador é um imbecil, porque só se sentindo assim para conceber as absurdas situações que o filme de entrega. Os diálogos são de doer, dentro de um texto ruim e sem sentido.

E para você, mulher magra, saiba que o filme te colocará como uma vilã de novela mexicana, da forma mais ridícula possível e tendo um ódio a mulheres gordas. Todos sabem que o preconceito existe sim, mas do jeito que é abordado, passa longe da barreira da caricatura. É completamente fora da realidade (e olha que nem estou falando da geladeira falante, isso mesmo kkkkk….. é melhor deixar pra lá )

O longa tem umas 10 cenas onde eu fiquei me perguntando se o que estava vendo era sério ou de propósito. É um absurdo total um filme desse conseguir patrocínio, sair do papel, passar por eventos testes e não ter ninguém que fale que isso é horrível !!!!!!

Gostosas, Lindas e quem se importa tenta se sustentar em um apanhado de clichês de pura vergonha alheia, onde todo argumento da inclusão social, da representatividade, cai por terra em um filme lamentável. O que vemos aqui é um desserviço ao cinema nacional, e principalmente a nossa inteligência.

3 Comentários

  1. Amigo, seu artigo está redondamente enganado. Esse filme é bom, e muito além disso, é BOM DEMAIS. O filme tem clichês? SIM, como todo filme por ai tem, poucos fogem do clichê, mas ele pelo menos tenta fazer algo diferente e representa muito a realidade das gordinhas e como elas sofrem mesmo que não seja de uma forma tão direta, outra coisa que vc não pode falar é que o filme é mal desenvolvido. Tirando a parte da geladeira que é mesmo um pouco forçado mas que de tão errado acaba sendo certo, o resto do filme é todo bem desenvolvido, construido, trabalhando bem as 4 personagens principalmente a protagonista com fluídez. Não sei se é pelo fato dos brasileiros desvalorizarem suas próprias obras e valorizarem a obras americanas. Mas deplorável é um exagero gigante de sua parte.

  2. O filme é uma porcaria, como a enorme maioria dos filmes nacionais (e os estadunidenses também). Só o que presta nele é a beleza extraordinária da Carolinie Figueiredo. Se ela entrasse em cena sozinha, só fazendo poses, daria para assistir tranquilo por umas 2 horas ou mais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here