O período em que a rainha Vitória governou o Reino Unido (1837 – 1901), também chamado de “Era vitoriana”, foi reconhecido pelo grande avanço que as indústrias tiveram na construção da Inglaterra contemporânea e pela política imperialista empregada em nações da África e Ásia. Esse foi um período de extremos para os ingleses, pois, enquanto o império tomava o posto de nação mais poderosa do mundo, seus cidadãos sofriam com a proliferação de várias doenças, vicio generalizado em ópio e álcool e aumento da prostituição.

As artes, por sua vez, foram influenciadas pela atmosfera geral. A literatura passou a retratar histórias marcadas pela violência e decadência moral do homem. “O Médico e o Monstro” representavam a dualidade do individuo que em público era um membro respeitado da comunidade mas que no privado era um ser cruel e perigoso, ou pelas “Penny´s Dreadful” que eram revistinhas contendo pequenas histórias de aventura ou mistério que, por serem muito baratas, caíram no gosto popular.

É com o clima vitoriano que a serie se ambienta, quando o nobre Sir. Malcolm Murray (Timoty Dalton) descobre que sua filha fora assassinada por uma criatura não humana e para encontra-la recorre a pessoas com habilidades especiais, tais como a vidente Vanessa Ives (Eva Green) e o pistoleiro americano Ethan Chandler ( Josh Hartnett).

Criada pelo roteirista de 007 – Skyfall John Logan, e produzida pelo premiado diretor Sam Mendes, “ Penny Dreadful” é considerada a obra mais fiel à serie de HQ´s criada por Alan Moore, “ A Liga Extraordinária”. Assim como a obra literária, a serie reúne um grupo de seres originados da literatura para enfrentar uma força do mal.

Para o assinante que busca uma serie de época mas que possua ação e um enredo misterioso, “ Penny Dreadful” é a escolha mais acertada. Tanto para espectadores que buscam um requinte em produções como para o fã de adaptações de quadrinhos, não haverá decepção.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here