Conhecida como ‘Dia de los Muertos’, no México e no leste da Europa como ‘Walpurgisnacht’ , a famosa data pelo retorno dos mortos a vida, mais conhecida em território americano por conta da famosa brincadeira Trick or Treat (doces ou travessuras) e o hábito de permear o gênero terror, nos cinemas, independente de nacionalidade.

O cinema também não se esquece desse dia, mais especificamente o gênero terror, e presta tributo a esse momento com filmes sanguinolentos e assustadores. Segue abaixo dez filmes de terror que ou fazem menção à celebração da noite ou que simplesmente vão assustar o espectador.

 Halloween (1978): a obra máxima de John Carpenter encabeça essa lista por traduzir melhor o sentimento dessa data. Na história, o psicopata Michael Myers, ainda criança, mata seus pais na noite de Halloween. Anos depois ele foge do sanatório aonde esteve internado para iniciar um novo banho de sangue em sua cidade.

Comunhão (1976): O primeiro filme protagonizado por Brooke Shields aborda uma serie de crimes realizados em uma pensão familiar, no qual a jovem Alice parece estar sempre envolvida de alguma forma, mesmo jurando não ter feito nada. Um slasher pesado, que aborda temas como infanticídio, pedofilia e religião que merece ser assistido.

 O estranho mundo de Jack (1993): A famosa animação dirigida por Henry Selick , produzida por Tim Burton, segue o entediado Jack Skeleton em seu mundo de eterno Halloween  em uma jornada para encontrar um sentido para a sua vida. O estranho mundo de Jack  é um marco na animação stop motion que trabalha o clima gótico dessa data com perfeição.

A Casa Monstro (2006): essa aventura é outra animação em stop motion que traz a temática do dia do Halloween, aonde um grupo de crianças deve desvendar os mistérios que envolvem uma velha casa responsável por vários desaparecimentos.

O massacre da serra elétrica (1974): Dirigido por Tobe Hooper, esse clássico do terror aborda a trágica jornada de um grupo de amigos ao interior do Texas, aonde eles encontraram um destino terrível nas mãos de uma família de canibais.

Suspiria (1977):  Sucesso do diretor italiano Dario Argento, Suspiria aborda também a questão do culto de bruxas e como a protagonista da obra lida com essa temática. Como é de praxe da filmografia do diretor, o uso de cores vibrantes tem enorme peso no andamento da trama e na construção do suspense.

Cry Wolf (2005): Um slasher que se ambienta em uma escola preparatória de elite aonde um grupo de amigos, motivados pelo homicídio de uma colega, simulam um assassino imaginário e quem serão suas próximas vitimas. O problema surge quando incidentes relacionados a esse assassino começam a aparecer e o grupo começa a se perguntar de se um deles não foi longe demais.

A maldição de Chucky (2013): O famoso boneco assassino ganha aqui um retorno digno após o excêntrico Filho de Chucky, dessa vez dirigido e escrito pelo roteirista do filme original, Don Mancini. A obra volta as origens da franquia com as series de assassinatos empreendidas pelo boneco do qual ninguém suspeita. No entanto, esse filme não é um reboot mas sim uma sequência da saga.

A Bruxa (2015): Considerado o melhor exemplar de terror nesse início de século, a obra se situa nos EUA puritano e segue uma família de fazendeiros que deve encontrar um novo lar e lidar com a ameaça sobrenatural de uma bruxa. A obra é notável por lidar com temas como a força da mulher em uma sociedade patriarcal, amadurecimento feminino e culto pagão tornando-a mais do que um simples terror.

Hush (2016): Uma casa no meio da floresta, uma jovem morando sozinha e um assassino a solta tentando matá-la. Já viu em algum lugar? Talvez o grande diferencial que Hush traga seja o fato de a protagonista ser surda, ou seja, muitos momentos trabalham com a ausência total de som e a agonia só aumenta quando a mesma não sente a aproximação do assassino.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here