A luta pela sobrevivência de dois índios nômades que vivem em uma área protegida no meio da Floresta Amazônica, mas cercada por fazendas e madeireiras, é revelada no documentário “Piripkura”, que terá pré-estreia na mostra competitiva de longas-metragens/documentário, da Première Brasil, no Festival do Rio, neste sábado, dia 7 de outubro, às 16h45, no Cinepolis Lagoon, no Rio de Janeiro. O filme mostra as expedições de Jair Candor, servidor da FUNAI, que desde 1989 acompanha e monitora os índios sobreviventes da tribo Piripkura com o objetivo de impedir a invasão da área. Packyî e Tamandua vivem com um facão, um machado cego e uma tocha. O longa aborda as consequências de uma tragédia e revela força, resiliência e autonomia. No domingo, dia 8, o filme terá sessão às 10h, no Odeon, seguida de debate com os diretores e representantes do Greenpeace e da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil.

Financiado pelo Fundo Setorial do Audiovisual e dirigido por Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge, “Piripkura” foi produzido com exclusividade para o Curta! pela Zeza Filmes com produção associada da Maria Farinha Filmes e da Grifa Filmes e estreará com exclusividade no Curta! em janeiro de 2018.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here