Marie-Francine (Valérie Lemercier) está na crise dos 50 anos. Acabou de ser demitida, foi abandonada pelo marido e foi obrigada a voltar a viver com os pais e a trabalhar numa loja de cigarros eletrônicos. Tudo parece perdido até que ela conhece Miguel (Patrick Timsit), um cozinheiro que vai mexer com o seu coração. Dirigido e protagonizado por Valérie Lemercier, 50 SÃO OS NOVOS 30 traz o desenrolar desse romance, que leva a personagem principal de volta a sua adolescência.

50 São os Novos 30   é a história de um grande despertar tardio. É uma mulher de 50 anos que talvez nunca tenha tido 14 anos, mas que, subitamente, volta à adolescência porque se apaixona e vê a vida se abrindo completamente”, explica a diretora e atriz.

Valérie, que também assina o roteiro do longa, e explica que só se deu conta de ter feito uma comédia romântica depois que viu o filme pronto. “Pessoalmente, eu não gosto tanto assim de comédias românticas. O meu longa anterior (O Acessório Final) era uma comédia dramática, enquanto este é mais sentimental, mais romântico, fala de como, graças a um encontro amoroso, podemos enfim reencontrar um lugar na própria vida quando se está por baixo. Talvez, no fundo, seja o mesmo tema que eu tento explorar cada vez: o de encontrar seu lugar”, conclui.

Com a função dupla de protagonizar e dirigir o filme, Valérie Lemercier só recebeu elogios do restante do elenco. “Ela tem um lado de regente de orquestra. Ela sabe fazer tudo, então é preciso ir onde ela nos leva, sem refletir. Não ficar se observando interpretar, não ser um bom aluno, buscar a verdade, sem inventar muito”, derreteu-se Patrick Timsit, que interpreta Miguel. “O set foi cheio de alegria e de concentração. Há brincadeiras, generosidade, às vezes muita doçura, mas também uma disciplina, uma contenção, uma elegância. Eu adoro isso, essa elegância que Valérie traz a tudo, até mesmo às brincadeiras mais inconvenientes”, completou o ator Denis Podalydes.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here