Um verdadeiro show de luz e som toma conta do palco do Teatro Cesgranrio. O espetáculo Raízes Indígenas segue em cartaz nos dias 26 e 27 de maio, às 17h, encenado pela Oficina de Canto Coral Cênico dirigida por Jonas Hammar. Com 48 integrantes, a montagem, que foi criada com o objetivo de divulgar a cultura brasileira, mescla clássicos da MPB, cantigas de roda e música erudita. Algumas canções são interpretadas em suas línguas originais, que revela aspectos da tradição indígena.

No repertório, Curumim, de Djavan, com arranjos de Marcos Leite e adaptação de Christan Bizzotto; Araruna, dos índios Parakanã do Pará , com arranjos de Marlui Miranda e adaptação de Christian Bizzottto; O Canto do Pajé, de Heitor Villa-Lobos e C. Paula Barros, com adaptação de Christian Bizzotto; Mekô Merewá, de Índios Sucuruí de Rondônia, com arranjos de Marlui Miranda e adaptação de Christian Bizzoto, entre outros.

Ao longo de 8 meses, os atores-cantores desta 1º Oficina viajaram pelo inconsciente da identidade brasileira, seus sons e suas raízes. Passaram por um intenso processo de pesquisa, preparação vocal e corporal, que resultou em um espetáculo inédito, com música, invenções em som, luz e cena.

“O Raízes Indígenas é o resultado dessa longa vivência e nos proporcionou uma experiência única e transformadora. Aprendemos muito com a nossa ancestralidade e passamos a reverenciar ainda mais a vida humana, cada espécie de bicho e planta e a cada singularidade que nos faz únicos”, finaliza Jonas Hammar, diretor da Oficina de Canto Coral Cênico.

Serviço:
Raízes Indígenas
Datas: 26 (sábado) e 27 de maio (domingo)
Horário: sábados e domingos, às 17h
Local: Teatro Cesgranrio (Rua Santa Alexandrina, 1011, Rio Comprido )
Ingressos: R$20,00 / R$10,00
Classificação etária: livre
Duração: 40 minutos

1 Comentário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here