Cascadura, subúrbio do Rio de Janeiro. O hospital Luis Carlos Macedo está lotado, e, pelos corredores, se espalham inúmeras macas e pacientes. Diante da falta de estrutura e da precariedade do ambiente, ainda é o desejo de salvar vidas que move a dupla de médicos Evandro (Julio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano), em “Sob Pressão’” Na segunda temporada da série, o inimigo está mais próximo. A corrupção chega sorrateiramente e dificulta ainda mais a vida dos médicos.

Sob nova administração, o hospital público se torna alvo da ambição e do oportunismo de Renata (Fernanda Torres), que passa a ocupar o cargo de Samuel (Stepan Nercessian), antigo diretor do local. Aos poucos, o mecanismo estabelecido por ela – aparentemente inofensivo – toma conta do ambiente, transformando a vida de todos que estão por ali.

Com direção artística de Andrucha Waddington e direção de Andrucha e Mini Kerti, a série  é uma coprodução da Globo com a Conspiração Filmes. A segunda temporada conta com supervisão de texto de Jorge Furtado e redação final de Lucas Paraizo, que escreve os episódios com Antonio Prata, Márcio Alemão e André Sirangelo.

Durante a coletiva de imprensa, realizada no Rio de Janeiro com parte do elenco, podemos assistir o quarto episódio da série, onde o principal ponto de virada  começa. Já havíamos assistido o primeiro episódio, disponível no Globo Play. No quarto episódio vemos a primeira aparição da personagem de Fernanda Torres, Renata. Inserida de maneira leve, a personagem marca o assunto corrupção, que costura com um linha fina toda a temporada. A atriz ainda revelou que até mais ou menos o nono episódio suas aparições são esporádicas.

Toda a pressão e agonia se faz presente em quase todo o tempo, assim como na primeira temporada. Inclusive os temas importantes continuam se fazendo presentes, com por exemplo o caso de uma trans que é tratado no quarto episódio. A história de um dos personagens da série, também se faz presente nesse momento. Outros assuntos como obesidade, transplantes, abuso, serão tratados durante a temporada.

As cenas estão cada vez mais bem feitas e mais profundas. No segundo episódio da série, teremos uma situação em que a personagem Carolina se envolve em um acidente de ônibus. A atriz falou um pouco sobre como foi gravar a cena – “As cenas externas são sempre mais complicadas, tem um episódio que tem tantos elementos especiais, quebram um ônibus, depois ele explode. Foi feito por partes, a conta-gotas”, explicou Estiano, que continua:  “Para estarmos dentro do acidente é muito mais desgastante do que dentro do hospital, onde você está em um lugar mais confortável, e pode pelo menos ficar de pé. No ônibus você não conseguia ficar de pé, tinha ferragem, sangue, muita gente. Eu não faço ideia de como ficou no final mas eu confio plenamente na nossa equipe. Estou ansiosa para ver, acho que esse episódio mostra um ambiente de guerra fora do hospital. É um ambiente onde você está em um caos absoluto e eu sou uma pessoa para tentar conter aquela tragédia, atender aos mais urgentes, esperar a ajuda de fora. Depois que eu terminei esses dias de filmagem dentro do ônibus, meu corpo doía muito, parecia que eu tinha sido atropelada. Foi ótimo porque a gente gravou a sequência de entrada no hospital com a memória desse estado físico de ter estado naquele momento sinistro.”

Cada episódio consegue ser compreendido sozinho, pois como dito anteriormente, cada um tem a sua história. Mesmo com alguns detalhes da vida pessoal dos personagens, como o casal Evandro e Carolina, é possível entender totalmente a história. Mas a série é tão boa, que fica impossível assistir um só episódio.

O ator Pablo Sanábio contou como funciona a preparação para que as cenas fiquem tão perfeitas, e realmente acreditamos que eles são médicos. “Nós assistimos algumas cirurgias e estamos sempre com o Dr. Marcio, acompanhando a gente o tempo todo. Quando vamos fazer uma cena de cirurgia, a gente ensaia muito ela, para ter certeza de como pega o instrumento, entende um pouco também da anatomia. Sempre temos uma aula de medicina bem rápida, ele explica tudo pra gente, o caso. É um momento sempre muito sério, que a gente faz para ficar incrível e realmente parecer que somos médicos.” finalizou o ator.

“Não só nas cirurgias, todos os procedimentos. Tem um equipe, pelo menos duas pessoas sempre, até para tirar dúvidas, como mexer em um aparelho, em um botão, em tudo. A gente é muito bem assessorado.” completou o ator Bruno Garcia. O ator  ainda acrescentou dizendo que é uma pressão deliciosa fazer a série, que possui uma tensão no bom sentido, que acaba imprimindo ainda mais na tela. Já que eles estão realmente sobre pressão, construindo um hospital.

A atriz Julia Shimura, que interpreta a enfermeira Keiko, aproveitou o momento para lembrar que além dos consultores e do Dr. Márcio, existe uma equipe de enfermeiros que cuida da arte e dão o suporte. Além disso a segunda temporada está trazendo mais ênfase a enfermagem, uma posição super importante nos hospitais.

Contando com um elenco de peso, a série ainda tem participações especialíssimas. A segunda temporada traz sessenta e quatro participações especiais.  “O ator que chega cai de paraquedas em um produção e a nossa função é trazer esse ator para perto. A gente depende desse ator, a gente depende do outro. Então para mim, para Marjorie, temos o maior prazer de receber as pessoas, os atores que chegam normalmente com uma carga a mais de emoção.” comentou Júlio Andrade.

“Eu acho que na verdade, os papéis mais difícil de todos, são as participações. Porque eles já chegam com as relações deles todas estabelecidas, com o conflito no 10 e às vezes nunca se viram. São atores com uma competência muito grande, as participações são escolhidas e vem de lugares muito distantes, não fica só no eixo Rio – São Paulo. Isso permite a gente conhecer atores de outras regiões e que talvez não tenham tanta popularidade na televisão mas, tem um carreira no teatro. Isso agrega muito valor. “ – completou Marjorie Estiano.

Andrucha ainda completou a mistura de ter vários tipos de participações, de pessoas do interior como de alguém já conhecido. “Vale tudo. O importante é o ator ser bem escalado para o papel e um compromisso com o realismo.”

Elogiada pelo público e pela crítica, a narrativa da série ganhou notoriedade internacional logo na primeira temporada, sendo exibida em festivais como Berlinale (Berlim) eTIFF (Toronto). “Sob Pressão” ganhou ainda quatro prêmios no 31st Festival International de Programmes Audivisuels, realizado em janeiro deste ano em Biarritz, na França: melhor série; melhor interpretação feminina e masculina (para Marjorie Estiano e Julio Andrade, respectivamente); e melhor roteiro. A série já foi licenciada para Portugal, Emirados Árabes, Catar, Itália, Egito e Equador, entre outros.

“Sob Pressão” estreia nas noites de terça-feira a partir do dia 09 e ficará no ar até 18 de dezembro.  Vale lembrar que o elenco já está gravando a terceira temporada da série.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here