Caso raro de grupo que se mantém unido e criativo em quatro décadas de carreira, A COR DO SOM comemora o feito com um disco certeiro e vigoroso. O repertório de “40 anos” tanto aponta para o futuro, com cinco canções novas, quanto reafirma o passado original da banda, em sete regravações de clássicos tirados de seus primeiros álbuns. O resultado é vintage, fiel ao estilo criado por Armandinho, Dadi, Mú Carvalho, Gustavo Schroeter e Ary Dias; e contemporâneo, em refinada produção do Roupa Nova Ricardo Feghali (que também participou no piano ou nas programações e dividiu os arranjos com A Cor do Som).

O grupo A Cor do Som, que sacudiu a galera nos anos 80 com inúmeros sucessos, está completando 40 anos de carreira e para celebrar a data lançou o CD “A Cor do Som – 40 anos”. O show de lançamento passou por diversas capitais do Brasil, e agora, finalmente, chega ao Rio de Janeiro, para única apresentação no Vivo Rio. O grupo, que mantém a mesma formação original com Armandinho (guitarra e voz), Dadi (baixo e voz), Mú Carvalho (teclado e voz), Gustavo Schroeter (bateria) e Ary Dias (percussão), agora conta com as participações especialíssimas dos cantores da nova geração Luiz Lopes e Pedro Dias, da banda Filhos da Judith.

O novo disco e o show trazem releituras de seus maiores sucessos, como “Abri a porta” de Gilberto Gil e Dominguinhos, “Alto astral” de Mú Carvalho, Dadi e Evandro Mesquita, “Zanzibar” de Armandinho e Fausto Nilo e “Swingue menina” de Mú Carvalho e Morais Moreira, além das novas canções “Alvo certo” de André Carvalho e Dadi Carvalho e “Somos da cor” de Armandinho e Maria Vasco.

A abertura do show da A Cor do Som vai ficar por conta da banda carioca de pop-rock Fuze, formada por Diogo Novaes (vocalista), Guilherme Fonseca (guitarrista), Felipe Novaes (baixista) e Pedro Novaes (baterista). A Fuze, que lançou recentemente seu primeiro EP e tem sua música ‘Corrente’ na trilha da nova novela da TV Globo, O Sétimo Guardião, abre a noite, mas volta ao palco tocando com A Cor do Som, num encontro de duas gerações musicais.

 Sucesso sem precedentes que durou por cerca de cinco anos, até o grupo ser atropelado pelo rock da geração seguinte. A partir do século XXI, o original som d’A Cor, que antecipava a mistura do rock com ritmos brasileiros, voltou a ser valorizado, citado como referência por muitos dos artistas que surgiram depois. Reconhecimento que é celebrado agora em “40 anos”. Como os bons vinhos, A Cor do Som soa melhor ainda com o passar do tempo, e brinda com esse diversificado leque de convidados.

Serviço
A Cor do Som com participação especial de Natiruts
Abertura: Banda Fuze
Local: Vivo Rio (Av. Infante Dom Henrique, 85 – Aterro do Flamengo)
Data: 12 de dezembro – quarta-feira
Horário: 21h
Abertura da casa: 20h
Ingressos: www.vivorio.com.br
Classificação: 18 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here