A Galeria do Lago encerra o ano com uma abertura: Quimera reúne três gerações de com quatro artistas e curadoria compartilhada de Isabel Sanson Portella com Ricardo Kugelmas, curador do espaço Auroras em São Paulo. Ana Prata, Bruno Dunley, Veío e Liuba Wolf são os artistas que expõem suas pinturas, esculturas e desenhos a partir do dia 15 de dezembro, sábado, no Museu da República. Trata-se, primeiramente, de um diálogo de gerações onde a exaltação imaginativa em diferentes técnicas aparece como destaque. A Quimera mitológica, símbolo complexo de criações imaginárias do inconsciente, representa a força devastadora dos desejos frustrados, dos sonhos que não se realizam, da utopia e fantasias incongruentes. Monstros fabulosos alimentam, desde sempre, a imaginação do homem com devaneios necessários à expansão da alma.

“O diálogo que se estabelece entre os quatro artistas resulta numa mostra de identidades e poéticas que se aproximam enquanto falam de desejos e expectativas. Embora as práticas sejam distintas existe a mesma procura pela excelência, pela abstração e simplicidade das formas. A eles interessa o prazer criativo, a ‘brincadeira séria’ e a liberdade de sonhar”, avalia uma das curadoras, Isabel Sanson Portella, que também é diretora da Galeria do Lago.

SERVIÇO
Quimera – Ana Prata, Bruno Dunley, Veío e Liuba Wolf expõem seus trabalhos
Museu da República (Rua do Catete, 153, Catete, Rio de Janeiro)
De 16 de dezembro de 2018 a 24 de fevereiro de 2019.
Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 12h e das 13h às 17h;
aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h
ENTRADA FRANCA

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here