No primeiro encontro do cineclube será exibido o filme “Nossos Mortos Têm Voz”, com direção, argumento e roteiro de Fernando Souza e Gabriel Barbosa. A narrativa do documentário se dá a partir do depoimento dos familiares e vítimas da violência de estado da Baixada Fluminense. Tendo como ponto de partida, mas não se limitando à crueza da violência praticada, o média pretende trabalhar com as histórias atravessadas por essas perdas. A partir do depoimento dos familiares e imagens de arquivos pretende-se resgatar a memória dessas vidas interrompidas trazendo uma visão crítica sobre a atuação da polícia na Baixada Fluminense, sobretudo no que diz respeito a violência contra jovens negros.

O filme, que teve sua pré-estreia no Cine Odeon e estreia no Teatro SESC Nova Iguaçu, no começo de 2018, tem como foco principal o depoimento de mães e familiares de vítimas da violência de Estado na Baixada Fluminense. O documentário retrata e trabalha com as histórias atravessadas por essas perdas, resgatando a memória das vidas interrompidas e trazendo uma visão crítica sobre a atuação do Estado através das polícias na Baixada Fluminense, sobretudo no que diz respeito à violência contra jovens negros.

Para os diretores Fernando Sousa e Gabriel Barbosa, “O filme ‘Nossos Mortos Têm Voz’ busca traduzir para a linguagem cinematográfica o grito das mães e familiares vítimas da violência de Estado na Baixada Fluminense, que lutam pela memória e justiça dos seus filhos e familiares. “Queremos provocar inquietação nos agentes do Estado e nas suas instituições, mas, sobretudo, desejamos que o filme potencialize todo o trabalho e militância das mães e de familiares massacrados pelo Estado. ‘Nossos Mortos têm Voz’ é um grito que expressa a dor das mães ao mesmo tempo em que as coloca como protagonistas na luta pelo direito à vida nas favelas e periferias do Brasil”, explicam.

O coordenador do Fórum Grita Baixada, Adriano de Araujo, comenta: “Desde a pré-estreia, ocorrida no Cine Odeon em março, temos observado que o filme tem provocado uma série de reflexões muito fortes sobre a trajetória de luta dessas mães, ao mesmo tempo em que evidencia como o Estado continua matando, seja pelos assassinatos em si, mas também pela não responsabilização e reparação desses crimes bárbaros” .

Padre Marcio Rodrigues, coordenador do Centro de Direitos Humanos de Nova Iguaçu, explica que o o filme representa a maior visibilidade da Rede de Mães e Familiares de Vítimas de Violência na Baixada: “Esperamos que o filme fortaleça a caminhada da Rede, dessa trajetória de mulheres que, com muito esforço, buscam somar forças para uma Baixada Fluminense sem violência”.

Serviço:
CINECLUBE – Sobre ‘Nossos Mortos Têm Voz’
Data: Dia 24 de janeiro de 2019.
Horário: Quinta-feira, às 19h
Valor do Ingresso: Entrada gratuita.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here