O sambista Tunico da Vila, apresenta o show “Tunico da Vila e do Terreiro” na Sala Municipal Baden Powell durante o Carnaval da Casa da Bossa, no dia 22 de fevereiro, sexta-feira, às 20 horas. A apresentação evidencia os sambas exaltação ou sambas de terreiro, como são conhecidas as canções que exaltam o amor às escolas de samba. Hinos compostos e cantados por quem vivencia o universo do carnaval. Tunico da Vila que é benemérito da Unidos de Vila Isabel, faz parte da ala de compositores e é autor do samba campeão do carnaval de 2013, fala que “é um momento afetivo o esquenta antes de pisar na avenida. Nos sambas de terreiro as escolas cantam a sua identidade e acima de tudo é uma reverência a toda ancestralidade que se dedicou aquele pavilhão”.

O cantor e compositor Tunico da Vila canta canções que contam histórias ancestrais, a ligação umbilical do sagrado com o samba, já que o ritmo nasce da liga com as tradições africanas, dentro de um terreiro da mãe de santo e do samba, Tia Ciata, representada pelas baianas no carnaval. No repertório do show sambas de terreiro e de enredo como “Renascer das Cinzas”, “Chico Rei”, “Prece ao Sol”, “Kizomba”, “Sonho de um sonho”, ” Festa no Arraiá”, além de ritmos africanos com “Semba dos Ancestrais” e “Muadiakime”.

O Terreirinho, região de sambas históricos no Morro dos Macacos e da comemoração do primeiro título da Unidos de Vila Isabel, “Kizomba, Festa da Raça” também é lembrado no show. “O Terreirinho era o palco dos sambistas no morro. Naquele chão de terra batida que fomos comemorar, a família toda e o povo do samba, em 1988 quando desfilei na bateria da Vila. Meu pai gravou um vídeo histórico lá com a Rosinha de Valença, Maestro Paulo Moura e outros bambas. Fui ensinado pelos meus pais a amar a cultura da escola de samba. Esse modo de ler a vida está gravado na minha alma. É muita prazeroso para mim cantar as tradições e tudo que envolve ela. Aprendi que beijar a bandeira começou lá com Ciata, a comer coletivamente, a respeitar a hierarquia dos mais velhos, as cantorias dos compositores nas quadras e os gurufins”, rememora Tunico que tinha 15 anos na época de Kizomba.

SERVIÇO
Tunico da Vila e do Terreiro na Sala Baden Powell
Data: 22 de fevereiro
Horário: 20 hs
Local: Sala Baden Powell (Av. Nossa Senhora de Copacabana, 360)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here