A exposição Femininos Pessoais traz ao Centro Cultural da Justiça Federal vinte e quatro nomes da fotografia contemporânea feminina que utilizam o autorretrato como forma de expressar a si mesmas e às questões da sociedade.

Com curadoria da Rococó Clean, exposição celebra a presença feminina nas artes e lembrar a necessidade de igualdade e representatividade da mulher em galerias de arte, museus e centros culturais no Brasil e no mundo. Além das imagens impressas em grande formato, uma projeção vai mapear o trabalho de representantes do Brasil e de outros sete países – Paquistão, Alemanha, Inglaterra, Colômbia, Canadá, Estados Unidos e Espanha – trazendo uma visão ampla do que é o autorretrato feminino em contextos diversos. Isso influencia a forma como cada uma se auto representa, e foi um dos critérios de seleção dos curadores.
Haverá ainda a participação de artistas plásticas como Elisa Kalume, que se autorretratou utilizando a escultura como meio de expressão, e a ilustradora Ligia Rocha, que criou um painel na parede central da exposição convidando os visitantes a realizarem seus próprios autorretratos. A ideia é estimular o público a utilizar a hashtag #femininospessoais nas redes sociais, criando um movimento que ultrapasse os limites da galeria.

A abertura do evento, no dia 19 de março, conta ainda com a performance da bailarina Bella Mac e da leitura de um poema por Manoela Campos, além da finalização do bordado em fotografia diante do público no autorretrato de Aline Brant.

O objetivo da exposição é ampliar a representatividade feminina no meio artístico. “As mulheres são grandes consumidoras de arte, criadoras de trabalhos potentes e pesquisadoras importantíssimas da cena artística contemporânea, mas sua presença e relevância no meio ainda está muito aquém do que seria justo. Estamos tentando, com a Femininos Pessoais, mudar nem que seja um pouquinho esse cenário, uma vez que as artistas são ao mesmo tempo autoras e temas das obras, ou seja, elas detêm toda a narrativa e fazem todas as escolhas.” Diz Vivian Faingold, uma das curadoras da exposição.
Os temas das imagens perpassam questões que vão desde a cobrança da perfeição estética (inatingível) até a necessidade de visibilidade da mulher na sociedade atual. Há espaço também para imagens poetizadas, para o corpo como abstração, para a reflexão, a beleza e a força da produção contemporânea destas mulheres.

A fim de conectar ainda mais o público e as artistas participantes, a exposição vai trazer o perfil do Instagram associado à cada imagem, para que os espectadores possam ver um pouco mais de suas respectivas produções.

SERVIÇO
FEMININOS PESSOAIS
CCJF – Centro Cultural Justiça Federal (Avenida Rio Branco, 241, Centro)
Visitação: de 20 de março a 28 de abril
Visita guiada com os produtores: 23 de março, às 17:30
Performance: 27 de março 12h30 às 14h
Entrada Franca

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here