Adaptação do texto de Aristófanes feita por Eliano Lettieri, peça abordada o poder feminino e os desejos mais primitivos do homem numa linguagem coloquial e de fácil entendimento.

Na Grécia, atenienses e espartanos travam uma guerra fratricida que enfraquece o povo grego de forma geral e torna o país mais vulnerável a conquistas estrangeiras. As mulheres que têm seus maridos longe de casa, lutando em uma guerra na qual a maioria das pessoas não vê sentido e considera mais prejudicial do que benéfica, decidem se reunir e fazer algo para que os homens desistam da guerra e votem a favor da paz. Para tanto, Lisístrata, uma mulher ateniense, convoca uma reunião de mulheres de diversas regiões da Grécia e diz que um meio eficiente que elas têm de ter os seus maridos de volta e de findar a guerra, é fazer uma greve de sexo.

Lisístrata narra a luta das mulheres para fazerem com que sejam reconhecidas como algo além de mero objeto sexual masculino. Para forçar os homens a deixarem de guerrear elas se utilizam de um artifício bastante eficaz: decidem fazer uma greve de sexo até que seus pedidos sejam atendidos.

Serviço
“Lisístrata”
Teatro Armando Gonzaga (Av. Gen. Osvaldo Cordeiro de Farias, 511 – Mal. Hermes)
Data: 12,13, 14, 19, 20 e 21/04/19
Sexta e sábado, às 20h e domingo, às 19h
Duração: 60 minutos
Capacidade: 210 lugares
Classificação etária: 14 anos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here