Quando o ex-empresário da INXS, Chris M. Murphy, assumiu a tarefa/responsabilidade de fazer parte da equipe de criação do documentário já aclamado pela crítica, Mystify – Michael Hutchence, ele não fazia ideia da montanha-russa emocional que viria em sua direção.

Trabalhando com seu velho amigo Mark Edwards, a dupla trabalhou para produzir algo mais do que apenas uma trilha sonora como o nome sugere, mas o ouvinte fazer uma jornada através de faixas raras e inéditas que se misturam a trechos de diálogos, e com os grandes hits da INXS e com preciosidades escondidas de Michael e do catálogo da banda. O álbum é dividido em quatro seções: Side A, Side B, Side C e Side D, todos se misturando um ao outro e proporcionando ao ouvinte uma experiência onírica mais profunda do que uma trilha sonora usual.

Chris M. Murphy nos conta a estória: “Ao longo de quatro semanas, Mark e eu trabalhamos juntos, até bem tarde, em noites assustadoras, lidando com o antigo trabalho de Michael enquanto o transformávamos em novo, em um novo conjunto de sua obra. Teve muitas lágrimas das lembranças junto com lágrimas de alegria quando estávamos fazendo algo que sabíamos que Michael amaria. Numa noite bem tarde, Mark me ligou do estúdio gritando: ‘Companheiro, há fantasmas por toda parte voando pela sala.’ Ele descreveu: ‘toda vez que ele não conseguia decidir se Michael gostaria da direção de uma faixa ele se ajoelhava para rezar a Michael e a Deus’ e ele disse que eles sempre o respondiam.”

O documentário e a paisagem sonora que acompanha o filme não poderiam vir em melhor hora para a banda, como Murphy diz: “Estamos entrando em um período empolgante de redescoberta do legado deles (INXS) e uma reavaliação de seu lugar na história da música.”

O primeiro single da trilha sonora, que será lançado hoje, é uma gravação solo rara de Michael Hutchence, num cover funk/soul de Eric Burdon & War, do hit ‘Spill The Wine’, recentemente descoberto e remasterizado no Abbey Road Studios, em Londres.

‘Mystify – Michael Hutchence’ é um documentário sobre o perturbado coração e alma de Michael Hutchence, dirigido pelo cineasta Richard Lowenstein, que colaborou extensivamente com a banda durante toda sua carreira, tendo dirigido 18 vídeos do INXS, três para os projetos solo de Hutchence, além da estreia de Michael como ator em ‘Dogs In Space’. Uma exibição única no Tribeca Film Festival, em Nova York, foi manchete em todo o mundo. A revista Screen Daily elogiou o filme por mostrar que Hutchence “pertence ao mesmo patamar de Mick Jagger, Jim Morrison e Robert Plant”, e que o filme “é um tributo mais do que digno.”

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here