“Jóia” é um show poético-musical em que os artistas celebram e homenageiam o álbum homônimo de Caetano Veloso, lançado em 1975, que nunca chegou a ser interpretado no palco. O projeto, que teve sua estreia em 2018 no Rio de Janeiro, foi idealizado pelo produtor cultural e cantor Rodrigo Faria e pelo roteirista musical Tyrone Medeiros, e reúne, no mesmo palco, diferentes gerações da música brasileira. Além de Rodrigo Faria (voz), participam a cantora Jussara Silveira, a percussionista Lan Lanh e o violonista Chico Oliveira. O poeta-designer André Vallias faz a direção visual do projeto.

“Jóia” está na discografia de Caetano como um dos discos em que a liberdade experimental de criação se impõe acima de tudo, a exemplo de “Araçá Azul”, lançado em 1973. O álbum é pouco lembrado, mas traz em suas canções temas que estão no centro dos debates mais calorosos da atualidade, como a tradição indígena, a ancestralidade africana e a manifestação política. “Jóia” também é um disco fundamentado nas ideias de origem da natureza e do ser humano, de personificação dos deuses, das plantas e dos animais, e na relação poética entre criador e criatura. Suas músicas são cheias de nuances melódicas e rítmicas minimalistas.

“Caetano tem umas canções que são pérolas escondidas no fundo do mar da música brasileira. Nós quisemos trazer à tona algumas delas para brilhar, para nos lembrar de nossas tradições e nos fazer ambicionar um futuro melhor. “Jóia” é um disco preciso, claro, definido. É necessário para o Brasil atual, esse Brasil da indefinição”, conta Rodrigo Faria.

Em meio a tantas homenagens necessárias e justas ao movimento tropicalista, liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil, a importância deste projeto reside na intenção de fazer com que as novas e velhas gerações se reconheçam nas canções e nos temas ainda muito atuais de um disco pós-tropicalista que aponta para o “respeito contrito à ideia de inspiração. alegria. saber a calma para ir perder a pressa para estar” (trecho do manifesto “Jóia” que Caetano divulgou à imprensa quando o disco foi lançado).

O show é uma celebração sincera de um disco que calmamente atravessou gerações à beira e ao fundo da forte correnteza do mercado musical, e agora, emerge à luz, ainda jovem e vigoroso neste projeto.

Mais recentemente, a parceria musical entre Rodrigo Faria e Jussara Silveira se reafirmou quando lançaram nas plataformas digitais o single “Lua Cheia”, uma magnética interpretação do poema da educadora e escritora Mabel Velloso musicado por Paulo Costta.

Serviço
Show: “Jóia”, com Jussara Silveira, Lan Lan, Rodrigo Faria e Chico Oliveira
Local: Clube Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico)
Data e horário: 05 de setembro, quinta, 21h
Ingressos: https://manouche.byinti.com
Classificação: 18 anos

Foto:  Marcelo Castelo Branco

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here