“FANTASIA – CHICO BUARQUE EM MÚSICA E POESIA” voltará à Sala Cecília Meireles na sexta-feira, dia 20 de setembro, às 20h, reunindo Hamilton de Holanda Trio, Alexandre Caldi, Quarteto Metacústico e Emanuelle Araújo. Com a plateia lotada na estreia em junho, o espetáculo é a costura de dois shows que gravitam em torno da obra de um dos nossos maiores poetas: “Samba de Chico”, do bandolinista Hamilton de Holanda, com arranjos originais para bandolim, contrabaixo e percussão, e “Buarqueanas”, com arranjos originais para sopros e cordas feitos pelo saxofonista e flautista Alexandre Caldi, idealizador do espetáculo.

Com direção artística da atriz, cantora e diretora Inez Viana, o espetáculo aprofunda o instrumental que sempre sobressaiu na obra de Chico. De um lado, está a delicadeza da cadência do samba e da alegria da sonoridade do Hamilton de Holanda Trio; do outro lado, o colorido da aquarela lírica, de profunda sutileza melódica, dos sopros de Alexandre Caldi mais o Quarteto Metacústico. Entre os números musicais, a atriz e cantora Emanuelle Araújo vai recitar versos célebres e trechos de livros de Chico e cantar. A produção é de Sonia Reinstein e Ana Luiza Accioly.

“Quando bolei o ‘Fantasia’ imediatamente lembrei do CD ‘Samba de Chico’, do Hamilton, porque o repertório dele completava estilisticamente o que eu propunha com meu ‘Buarqueanas’. Em contraponto a meu repertório mais lírico e dramático, com obras como ‘Joana Francesa’ e ‘Palavra de Mulher’, ele traz no dele a alegria de ‘A Volta do Malandro’ e o suingue de ‘Samba do Grande Amor’, por exemplo”, exemplifica, já adiantando o repertório da noite.

Só foram escolhidas músicas de Chico Buarque sem parceiros para o repertório deste show, com exceção da buliçosa “Samba de Chico”, composição de Hamilton que nomeia o disco, vencedor do Grammy Latino de 2016 na categoria Música Instrumental.

“Quando o Alexandre Caldi me convidou para o espetáculo, achei que seria um bom contraponto porque ele tem esse trabalho com o quarteto de cordas e eu gravei com Tiago da Serrinha na percussão e Guto Wirtti no contrabaixo. Os nossos sons têm uma onda bem suingada, com bastante ritmo, e mostram dois lados importantes da obra do Chico Buarque. E, acima de tudo, vamos tocar, através desse repertório, a imensa beleza da música popular brasileira”, exulta Hamilton.

O espetáculo nem imita, tampouco descaracteriza o Chico que o Brasil tão bem conhece, mas ressalta sua verve melódica, revelando-o ainda mais ao público. Num roteiro dinâmico, em que os músicos tocam separados e juntos em diversos momentos – um dos papéis de Emanuelle Araújo é fazer essas conexões -, o espetáculo apresenta a essência de um Buarque que dialoga com Alexandre e Hamilton, admiradores e profundos conhecedores de sua obra, vencedora do Prêmio Camões, a mais importante premiação de língua portuguesa, oferecida pelos governos de Portugal e do Brasil.

FANTASIA – CHICO BUARQUE EM MÚSICA E POESIA é patrocinado pela Triunfo Logística através da Lei do Incentivo do ISS, da Prefeitura do Rio, com recursos do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro e apoio da Funarj. A Sala Cecília Meireles é um espaço da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa / Funarj.

SERVIÇO
FANTASIA – CHICO BUARQUE EM MÚSICA E POESIA
QUANDO: 20 de setembro, sexta-feira, às 20h
ONDE: Sala Cecília Meireles

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here