“Quem fala e quem escuta?”. Esta pergunta, vital no debate contemporâneo, norteia a primeira edição do Escuta Festival, organizado pelo Instituto Moreira Salles e a Agência de Redes para Juventude. O evento acontece nos dias 13, 14 e 15 de dezembro (sexta, sábado e domingo), no IMS Rio (Rua Marquês de São Vicente, 476).

O festival promoverá debates, conversas e atividades voltadas para as linguagens e práticas culturais realizadas nas periferias do Rio de Janeiro. Para participar do evento, a Agência convidou uma rede de artistas e ativistas de favelas e territórios populares, que se encontrarão com o público no IMS Rio. Todas as atividades são gratuitas.

O evento começa na sexta-feira (13/12), às 16h, com a mesa “Quando novos corpos, territórios e vozes chegam no sistema das artes”, composta pela artista Taisa Machado, a atriz Dandara Vital, o escritor Otávio Júnior, e o videomarker Big Jaum. Ouvindo a fala, estarão os pesquisadores Ivana Bentes, professora da UFRJ, e Fred Coelho, docente da PUC-Rio, a fotógrafa Rosângela Rennó, e o produtor Batman Zavareze. Ao final da apresentação, eles realizarão perguntas para os participantes da mesa.

Em seguida, às 18h, haverá uma festa, no espírito das resenhas que acontecem nas periferias. A celebração começará com uma aula de afrofunk, ministrada por Taisa Machado. Em seguida, um grupo de slammers e poetas apresentarão seus trabalhos ao público, numa festa comandada pela MC Gênesis, ao som do DJ Bion, nos arredores da piscina.

A programação continua no sábado (14/12), às 11h, com a exibição de um curta em homenagem ao audiovisual, de Cavi Borges. O filme apresenta um compilado de produções da periferia do Rio de Janeiro, nos últimos quinze anos. Às 14h, doze artistas de territórios populares, selecionados em uma convocatória realizada pelo IMS, conversarão sobre seus portfólios com profissionais de várias áreas do Instituto (evento fechado). Também às 14h, o festival traz uma oficina sobre o punk rock carioca, com o historiador Larry Antha.

Às 16h, acontecem duas atividades simultâneas: uma visita mediada à casa e aos jardins do centro cultural e uma mostra de cinema. Na primeira, a equipe da ação educativa conduzirá o público em um percurso pelos jardins e pela arquitetura da Casa da Gávea. Exibida no cinema, a mostra apresentará cinco curtas produzidos na Baixada Fluminense, seguida de debate com os diretores. Às 18h, nos arredores da piscina, haverá ainda uma roda de samba com a música Margarete Mendes.

No domingo (15/12), às 11h, o festival promove um piquenique com cineastas, performers, grafiteiros e ativistas da periferia da cidade. Ao longo do encontro, eles trocarão impressões sobre os desafios de suas atuações e os planos para o futuro. Às 15h, o ator Leandro Santanna, indicado ao Prêmio Shell 2018, apresentará um monólogo sobre a obra do escritor Lima Barreto. Às 16h, a equipe educativa fará a visita mediada pelos jardins e a casa do centro cultural.

Também às 16h, haverá um debate, no qual artistas de periferias convidados discutirão os acervos do IMS, apresentando possíveis leituras e intervenções artísticas sobre as coleções. A mesa contará com a presença do fotógrafo Francisco Valdean e dos artistas Lucas Ururah e Panmela Castro. Na plateia, estarão Beatriz Paes Leme, Bruno Buccalon, Elizama de Almeida, Gabriel Bevilacqua, Gustavo Aquino e João Fernandes, representantes da equipe do IMS. O festival encerra às 18h, com a festa Eu amo Baile Funk, conduzida pelo DJ Grandmaster Raphael, nos arredores da piscina.

A Feira Crespa Gastronômica estará presente durante os três dias do festival, vendendo comidas e bebidas.

Serviço
Escuta Festival
13, 14 e 15 de dezembro (sexta, sábado e domingo)
IMS Rio (Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea)
Tel.: (21) 3284-7400

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here