A Feira Vida Liberta promove a edição de Natal no Palácio do Catete com uma série de atividades gratuitas no fim de semana de 14 e 15 de dezembro, sábado e domingo. Vai ter aulão de Yoga com a atriz Julia Oristânio, vivência sobre Empatia e Vulnerabilidade com a naturóloga, Mari Mel Ostermann, palestra sobre Espiritualidade dos Animais com o veterinário Gabriel Titan e ainda uma campanha em prol da fauna marinha e limpeza dos oceanos capitaneada pela ONG Divers For Sharks. A feira vai das 10h às 18h reunindo 40 expositores/dia ofertando gastronomia saudável por até R$ 25,00, cerveja artesanal, produtos sustentáveis, moda masculina, feminina e infantil, acessórios e artesanatos feito por pequenos produtores além de quick massage por R$ 30,00.

“Não queremos que todo mundo seja legal só no Natal, queremos que a harmonia seja duradoura. Acreditamos em uma forma mais cuidadosa e fraterna de nos relacionarmos com o planeta, com as pessoas, nos negócios através de um comércio justo buscando sempre o máximo de respeito e compaixão nas relações e até entre espécies”, define o produtor Gustavo Goldani, criador da feira, ao lado da irmã, a nutricionista Catarina Goldani.  Criada em 2016, a Vida Liberta foi uma das pioneiras na campanha contra uso de plástico descartável. A feira é auditada pela empresa Simbiose EcoSoluções que monitora o manejo, descarte e geração de resíduos. As marcas que comprovam práticas mais sustentáveis recebem uma premiação em dinheiro. O público também é convidado a repensar seu comportamento e pode “alugar” um copo padrão por R$ 5,00 para usar durante o evento, e se quiser, leva depois para casa por esse valor ou devolve para a produção.

Um dos destaques dessa edição é a campanha a favor da fauna marinha e a limpeza dos oceanos promovida pela ONG Divers for Sharks. Desde 2010 eles alertam sobre o desaparecimento dos tubarões e sua importância na manutenção do equilíbrio da fauna marinha. “A pesca dos tubarões se dá muito pela procura das barbatanas que são consideradas iguarias por outros povos. Com isso, criou-se a prática denominada ‘finning’,em que suas barbatanas são retiradas e o animal é jogado ainda vivo ao mar. Sem conseguir se movimentar e gravemente ferido, o tubarão afunda e morre”, explicam os gestores da ONG

SERVIÇO
FEIRA VIDA LIBERTA – 14 e 15 de dezembro
LOCAL – Palácio do Catete – Rua do Catete, 153, em frente ao Metrô.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here