A trajetória de Hebe Camargo, uma das mais emblemáticas figuras da TV no Brasil, poderá ser acompanhada desde o início de sua vida até o final dos seus dias em ‘Hebe’. Valentina Herszage interpreta o início da carreira de Hebe Camargo, dos quatorze aos vinte e oito anos, na minissérie em dez capítulos já disponível na Globoplay.

“Interpretar a Hebe é falar de força, liberdade e de uma humanidade sem tamanho. Uma mulher à frente do seu tempo, que lutou pelos seus direitos e dos outros mas nunca deixou de errar, de se contradizer, de chorar e, acima de tudo, de rir desvairadamente. Uma mulher apaixonada pela vida. É uma pena não a ter conhecido pessoalmente, com certeza sua potência habita em todos nós para sempre.”, declara Valentina Herszage.

A Hebe foi um ícone em muitos sentidos, uma mulher além do tempo. Qual é a importância de interpretar uma personagem de tamanha grandeza na sua carreira?

Valentina Herszage  – Eu acho que ela fala muito de ser uma mulher que venho de uma herança muito humilde e que foi conquistando o público e as pessoas, justamente pela forma como ela se comunicava, como ela era generosa, com ela defendia as minorias. É importante relembrar isso, num momento político em que a gente está vendo a cultura ser censurada. Então, eu acho que a Hebe é uma figura que fala bastante por nós.

Você a interpreta no início da carreira como cantora, entre quatorze e vinte e oito anos, como foi a construção dessa personagem?
Valentina Herszage  – Eu fiquei cinco meses fazendo preparação de corpo com a bailarina Marina Salomon, com a Iris de Prosódia e com a Cris Delano, de canto. Eram trabalhos diários. Além de toda a pesquisa sobre a Hebe, eu li tudo que tinha sobre ela. Eu acompanhei as filmagens do longa, então, eu consegui assistir a Andrea fazendo a Hebe, o que para mim era muito importante poder bater essa bola junto com ela.

Foi um trabalho muito intenso e muito divertido, porque a Hebe é uma figura muito divertida. Foi um trabalho de muita pesquisa da personagem, além de muito trabalho de corpo e voz, para conseguir trazer esse espirito dela.

 O que você pode levar de aprendizado desse trabalho?
Valentina Herszage  – Ah, eu acho que muitas coisas! A experiência de viver uma personagem que viveu, e que é tão viva na mente das pessoas, é uma experiência muito incrível! Você tem que ter uma dedicação muito especifica, você tem que conseguir reproduzir algumas coisas que as pessoas lembram tanto, ao mesmo tempo tem uma liberdade de entender que na verdade não é a Hebe, é uma leitura minha dela.

Todo esse clima de set, com uma caracterização muito trabalhosa e espetacular, incrível. Poder trabalhar com grandes atores como Sandra Corvelone, Ângelo Antônio e Andrea Beltrão.

A série me fez retomar o contato com o canto, que é uma coisa que amo tanto. Eu me formei numa escola de musical, onde eu fazia teatro, dança, circo e canto. Foram treze anos, então, retomar esse contato com o canto foi muito importante para mim.

Qual é a importância da Hebe na televisão brasileira?
Valentina Herszage  – A Hebe dialoga com todos os públicos, com todas as pessoas, ela  tinha uma sinceridade, um humor, para falar de coisas tão importantes, como política, inclusão social, falando de você ser quem você quiser. Foi uma mulher na liderança no mundo da televisão.

Eu acho que o amor que transbordava dela, né, essa pessoa generosa, que vai ficar marcada para sempre. É muito bom poder trazer ela de novo, né, e perceber tudo que ela lutou, que ela defendeu.

Fotos: divulgação GloboPlay

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here