O CCBB Educativo – Arte & Educação neste período em que as atividades presenciais da instituição estão suspensas poderão ser acessadas no site www.ccbbeducativo.com.br.

 Os Centros Culturais Banco do Brasil oferecem atividades educativas que dialogam com a programação desde sua inauguração em 1989. Enquanto os CCBBs não reabrem para o público, conteúdos exclusivos da sua programação estão sendo oferecidos e divulgados em seus perfis nas redes sociais. Tudo para que esse período atual de atenção e recolhimento seja o mais tranquilo possível, com cultura.

Sempre envolvendo a arte, nos momentos em casa, durante o isolamento social, professores e profissionais da educação podem se manter atualizados e mergulhar em novas perspectivas. Alunos podem continuar com o aprendizado e há até oficinas que podem ser feitas pelos pais com seus filhos, visando a diversão e o conhecimento.

Os interessados poderão acessar no site do CCBB Educativo, a seção “Arquivo Vivo”, que é composta por textos, fotos e vídeos das várias atividades realizadas semanalmente em Arte & Educação nas quatro unidades Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. A ideia é proporcionar a todos um momento de reflexão, criação e diálogo com as obras, sobre pensamentos presentes articulados nas exposições e em cada projeto realizado no CCBB.

Nesta semana, o convite especial é explorar à exposição “VAIVÉM”, que levará o público, a perceber como usam seu tempo e suas atividades cotidianas. O curso “Transversalidades” – com Denilson Baniwa (RJ), propõe uma reflexão sobre a arte indígena contemporânea. A atividade “Com a palavra” – com Daniel Toledo (SP), abordará sobre o modo de vida moderno e seu rítmo acelerado. O “Laboratorio de Critica” – com Paulo Tavares (DF), trata da questão do solo indígena como patrimônio arquitetônico. O “Multiplo Ancestral” – com Sallisa Rosa (RJ) traz a proposta de renovação do imaginário social a cerca das considerações dos povos indígenas, incluindo os que vivem nos centros urbanos. Por fim, a “Atividade de férias” – com Niara do Sol (RJ), com contações de histórias e saberes herdados das etnias, sobre o rico cotidiano vivido em plena comunhão com a natureza.

A exposição “VAIVÉM” investiga as relações entre as redes de dormir e a construção da identidade brasileira. “VAIVÉM” conta com mais de 300 obras, com recorte entre os séculos XVI e XXI, de aproximadamente 141 artistas, sendo 32 indígenas. A exposição está ancorada entre três elementos: as artes visuais, o Brasil e as redes de dormir. Se trata de uma mostra que traz à tona diversas maneiras de representar e apresentar as redes de dormir em referência às construções da visualidade e da identidade brasileira. As obras expostas tanto remontam a diferentes momentos da história da arte no país, quanto questionam e desconstroem o imaginário advindo do senso comum sobre o que seriam, conceitualmente, o “Brasil”, a “brasilidade” e o “brasileiro”. Um convite ao público, a perceber como usam seu tempo e suas atividades cotidianas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here