Sob a batuta do maestro Guilherme Mannis, a Orquestra Sinfônica Brasileira realizará, no próximo dia 10 de março (terça-feira), o primeiro concerto da Série Clássica Brasileira em 2020. A apresentação será no Teatro Riachuelo Rio, às 19 horas, e terá programa composto por obras de Camargo Guarnieri, Villa-Lobos e Mozart.

A noite do dia 10 de março terá início com Camargo Guarnieri e sua íntima ligação com as melodias populares. O Concerto para Cordas e Percussão foi composto para a Orquestra Armorial de Câmara de Pernambuco, e insere, no austero universo da orquestra de cordas, ritmos característicos do nordeste brasileiro, tais como o “coco”, de Pernambuco. Na sequência, a Sinfonia nº25, de Mozart, composta pelo compositor em sua adolescência, mas já mostrando seu domínio de escrita e dramaticidade peculiar que caracterizariam suas obras posteriores. Completando o programa, a Suíte nº2 de Villa-Lobos. Composta em Nova York, no último ano de vida do autor, é uma peça que se utiliza de formas barrocas para expressar melodias das mais variadas inspirações. O mote rítmico do último movimento – Macumba (Evocação dos Espíritos) – culmina em uma grande e arrebatadora apoteose, digna das mais inspiradas peças de Villa.

O maestro convidado para o concerto, o paulistano Guilherme Mannis, regerá a Orquestra Sinfônica pela primeira vez. No entanto, quando o assunto é o repertório selecionado, Mannis é um velho conhecido, pois já regeu as três peças por muitas vezes, tendo gravado a Suíte nº2 com a Sinfônica de Sergipe – orquestra da qual é diretor artístico e regente titular – em CD especial produzido para o cinquentenário do falecimento de Villa-Lobos. “Trata-se de nosso retrato musical, das emoções de nosso povo traduzidas em sons, em ideias musicais. Parece óbvio, mas é necessário frisar que não há orquestras mais adequadas para a música brasileira do que as nacionais. Vivemos o Brasil, entendemos o Brasil diariamente, em suas belezas e mazelas. É importante que tal poesia esteja em nossas salas de concerto, por vezes tão afastadas da realidade. Precisamos valorizar nossa identidade, independentemente de estéticas ou linhas composicionais” – afirma o maestro.

 SERVIÇO:
Orquestra Sinfônica Brasileira | Série Clássica Brasileira
Guilherme Mannis, regente
Dia 10 de março de 2020 (terça-feira), às 19h
Local: Teatro Riachuelo (Rua do Passeio, 38/40 – Centro)
Ingressos: bilheteria do Teatro Riachuelo e no site Sympla

Foto: Cicero Rodrigues

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here