Centro cultural completa 200 anos.

A Casa França-Brasil completa 200 anos nesta quarta-feira (13). Porém, o aniversário de dois séculos vai ser diferente, por causa do isolamento social. Com um importante capítulo solidário, a Casa França-Brasil abriu suas portas para ser sede da campanha “Salve Produção”, que destinará cestas básicas a profissionais do setor de eventos, que sofrem com os efeitos da pandemia.

Localizado num dos corredores históricos mais importantes do Brasil, o prédio da Casa França-Brasil foi construído a pedido de Dom João VI ao arquiteto, integrante da Missão Artística Francesa, Grandjean de Montigny. Aliás, o primeiro registro do estilo neoclássico no Rio de Janeiro foi inaugurado em 13 de maio de 1820 como sede da Praça do Comércio. Em pouco tempo, o espaço se tornou um importante centro de circulação de comerciantes em ascensão, alguns deles com aspirações políticas.

Em duas décadas de existência, o prédio abrigou outras instituições, como a Alfândega. Após passar por uma reformulação na década de 1980, o espaço se tornou um centro cultural inaugurado em 1990, ganhando o nome de Casa França-Brasil.

 “A Cultura é feita por profissionais de diversas áreas, que estão sofrendo com esse período. Para minimizar os efeitos, estamos desde o início buscando parcerias para a realização de ações positivas para todo o setor. A Casa França-Brasil é um espaço com muita história e agora ganha mais esse importante papel”, conta Danielle Barros, secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa.

A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, através da Superintendência de Artes, está elaborando uma programação de exposições para o espaço no segundo semestre, assim que o isolamento social for encerrado no Rio. Além disso, o centro cultural recebe, desde 2019, o projeto cinematográfico Cineclube Rio de Telas, com exibição de filmes na Sala Rio 40 Graus.

Foto destaque: Gui Maia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here