Cantora da Era de Ouro do Rádio, Carmen Costa ganha homenagem.

Foto: divulgação/ acervo da família

Carmen Costa (5/7/1920-25/4/2007), uma das mais brilhantes cantoras da Era de Ouro do Rádio, se estivesse viva completaria 100 anos. Cheia de pioneirismo a intérprete de sucessos como “Está Chegando a Hora”, “Cachaça”, “Tem Negô Bebo aí!”, hit até hoje embalando os foliões no carnaval brasileiro, será lembrada pela família com evento virtual em seu Centenário de Nascimento.

A programação inclui live, missa, lançamento de vídeo e depoimentos ilustres como os de Haroldo Costa, Sergio Cabral, Hermínio Bello de Carvalho, Ricardo Cravo Albin e Nei Lopes.

Carmen Costa foi a primeira cantora do famoso hino oficial do Bloco Bola Preta com gravação antológica. Segundo os críticos Carmen foi a primeira diva negra da música brasileira que surgiu cantando nos anos 30 e até a morte emocionou plateias com sua linda voz. Foi uma das primeiras a registrar em disco composições de Luiz Gonzaga, entre elas “Xamego” e “Sarapaté”.

De origem humilde, com o nome de batismo Carmelita Madriaga, aos 15 anos ela chega ao Rio de Janeiro vindo de sua cidade natal Trajano de Mores para trabalhar em casa de família. A empregada doméstica do “Rei da Voz” é incentivada pelo patrão a virar uma estrela do rádio. Foi exatamente no doce lar de “Chico Viola” que em uma festa a então “Carmelita” cantou “Camisa Listrada” para Carmen Miranda, a grande voz dessa canção, sendo aplaudida pela “Pequena Notável” por sua bela interpretação.

A partir daí, como caloura ela se apresenta no programa de Ary Barroso tornando-se a vencedora e pouco depois já participa do coro de gravações de nomes conhecidos da música popular como Dorival Caymmi.

Carmen viveu o auge artístico nos anos 1950 e 1960 se afirmando bem eclética como sambista e mais tarde cantando bolero, baião e samba-canção. Separada de Henricão conhece o engenheiro norte-americano Hans Van Koehler com que se casa e vai morar nos Estados Unidos, aonde chegou a cantar no Carnegie Hall em 1962, lançamento da Nossa Nova em Nova Iorque.

Carmen Costa fez bastante sucesso na Rádio Nacional na década de 1950 sem ser contratada. Também atuou cantando em filmes como “Prá Lá de Boa”, “Carnaval em Marte”, “Depois em Conto” e “Vou Te Conta”. “Pra Lá de Boa” (1949), “Carnaval em Marte” (1955), “Depois Eu Conto” (1956) e “Vou Te Contá” (1958).

PROGRAMAÇÃO:
JULHO
· Dia 3, 18h, live com @annapaulablack e convidados: Áurea Martins, Elymar Santos e Silezia Madriaga/ Gilberto Julho
· Dia 4, 11h, missa transmitida pelo Youtube
· Dia 5, publicação de depoimentos sobre a cantora, no facebook, de nomes como Hermínio Bello de Carvalho, Haroldo Costa, Ricardo Cravo Albin e Pedro Ernesto Marinho. Lançamento do vídeo musical em homenagem à Carmen Costa.

A atriz e cantora Anna Paula Black, integrante da Cia. dos Comuns, que já trabalhou com diretores como Antônio Abujamra, João Fonseca, Flávio Marinho e Gilberto Gawronski pretende encenar o musical “Carmen Costa – uma diva negra” , destacando várias fases da trajetória da artista.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here