Uma live de sucesso que se transformou em álbum! Assim nasceu “Tudo Vira Reggae”, projeto do MANEVA, em parceria com a Universal Music, a GTS e a Base 4, no Dia Mundial do Reggae, em todos os aplicativos de música.

Surpreendentemente, o repertório de peso, que reúne obras primorosas da música popular brasileira em releituras extraordinárias, traz 10 faixas que navegam pelos mais diferentes ritmos, mas com o arranjo particular do som jamaicano.

A fim de fazer releituras, canções de Chitãozinho e Xororó, Djavan, Raul Seixas, Titãs, Alceu Valença, dentre outros artistas, fazem parte do décimo registro de carreira. As escolhidas foram “Epitáfio”, “O vento”, “Péssimo negócio”, “Te devoro”, “Evidências”, “Metamorfose ambulante”, “Anunciação”, “Na rua, na chuva, na fazenda” e o medley de “À francesa” e “Noite do prazer”. “Um projeto que tem a nossa cara. Conseguir reunir músicas que fazem parte das nossas histórias e dar a elas um novo olhar foi uma experiência quase sensorial”, explica Tales de Polli, vocalista do MANEVA.

Os fãs do MANEVA já tem data para conferir as faixas do novo álbum em um grande espetáculo. No próximo sábado, 4 de julho, a partir das 20h, no Allianz Parque, em São Paulo, a banda se apresenta no evento “Arena Sessions”. Os ingressos começam a ser comercializados a partir de 30 de junho.

No formato Drive in, o MANEVA fará, certamente, o primeiro show desde o início da quarentena, fato muito celebrado pelos integrantes. “Sempre foi um sonho tocar no Allianz Parque e, desta vez, estamos duplamente felizes! Vamos lançar o álbum ‘Tudo Vira Reggae’ e matar as saudades do palco”, comemora Fabinho, baterista.

“Tudo Vira Reggae” é fruto da primeira transmissão ao vivo foi dirigido por Julio Loureiro. Além das autorais que colecionam números expressivos de streams nas plataformas de distribuição digital, o grupo incluiu canções cheias de memórias afetivas.

“O MANEVA conquistou algo muito difícil, que é o reconhecimento somente pelas próprias composições. Sem dúvida, é um projeto inovador exatamente por isso. Pela primeira vez, o público pode ouvir esse nosso ‘lado B’, aquilo que gostamos e que teve e tem forte influência em nossas vidas”, fala Diego Andrade.

Aliás, “Metamorfose Ambulante” foi a primeira a chegar ao mercado. Pelas redes sociais e em sistema de votação, os fãs escolheram o hit de Raul Seixas, gravado originalmente em 1973. “Raul é unânime, não tem jeito. Uma referência importantíssima e que contribuiu de forma rica com suas poesias singulares. Assim também são os outros artistas que trazemos nessa experiência musical. Convido vocês a viajarem conosco em ‘Tudo Vira Reggae’, um álbum que fala de amor, lembranças e saudades, mas em um só ritmo”, encerra Tales.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here