Nesta quinta (02/07), o cardápio do Belas Artes À La Carte traz as novidades semanais. Entre elas, tem O Espelho (Rússia, 1975), de Andrei Tarkovsky.

Com forte inspiração em fatos da infância do próprio diretor, como a evacuação das pessoas de Moscou para o campo durante a guerra e a perda dos seus pais. O Espelho traz imagens de fatos históricos que se entrelaçam à narrativa do filme, incluindo diversas cenas da Guerra Civil Espanhola. O filme foi eleito o 9º melhor filme de todos os tempos pela revista britânica Sight & Sound em 2012, na votação de diretores internacionais.

Ânsia de Amar (EUA, 1971), de Mike Nichols, é um filme com muitas histórias de bastidores. A cena da briga com Jack Nicholson e Ann Margret levou uma semana inteira para ser filmada e, no final, os dois atores ficaram sem voz. Nichols ficou 6 meses em busca da atriz para interpretar Bobbie, rejeitando grandes nomes como Jane Fonda, Raquel Welch, Natalie Wood e Dyan Cannon, para no fim escolher Ann-Margret que fez um trabalho espetacular.

Besame Mucho (Brasil, 1987) é uma comédia sobre a geração do diretor, mas com uma loucura diferente: o filme não é um flashback, mas sua linha do tempo caminha ao reverso. E com um elenco monumental: José Wilker, Gloria Pires, Antonio Fagundes, Christiane Torloni, Giulia Gam e Paulo Betti, embalados pela música título arranjada por Wagner Tiso.

Viagem ao Fim do Universo (Tchecoslováquia, 1963), de Jindrich Polák, mesmo com as limitações tecnológicas da época, influenciou clássicos da ficção científica, como “2001”, “Star Trek”, “Guerra nas Estrelas” e “O Planeta dos Macacos”, entre outros. Para o lançamento americano do filme, foram cortados cerca de 26 minutos, além de outras mudanças na edição que alteraram substancialmente o sentido original. Zdenek Stepánek (1896–1968), um dos protagonistas, estreou como ator nos anos 1920, e atuou no clássico do cinema tcheco “Marketa Lazarová”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here