A Vivo apoia, incentiva e tem a diversidade como um de seus principais pilares e isso se reflete também na escolha das peças da terceira temporada do Teatro Vivo em Casa, com estreia prevista para a segunda quinzena de outubro.

Foto: João Caldas.

A primeira peça, “Se Fosse Fácil, Não Teria Graça”, será transmitida ao vivo, dia 17, às 20h. O monólogo tem texto, direção e interpretação de Nando Bolognesi, e traz para o palco a temática da pessoa com deficiência. A peça narra, com bom humor, como o intérprete aprendeu a conviver com suas próprias limitações, impostas por uma doença degenerativa.

Além da peça com Nando Bolognesi, “Se Fosse Fácil, Não Teria Graça”, outros quatro espetáculos integram a programação. Em 24/10, às 20h, entra em cena Denise Weinberg, do Grupo Tapa, com a peça “Uma Aventura Parisiense”. A direção é de Eduardo Tolentino de Araujo e o texto de Guy de Maupassant. Na sequência, dia 31/10, é a vez de “Uma Mulher Só”, com Martha Meola, direção de Marco Antonio Pâmio e texto de Dario Fo e Franca Rame.

Em novembro, dia 07, o público poderá conferir o monólogo “Voar é o Que Me Põe em Pé”, interpretado por Olívia Araújo, com direção de Renato Farias, texto e poemas de Marcelinho Freire e Geni Guimarães. Por fim, a peça que encerra essa temporada do Teatro Vivo em Casa, é o espetáculo “Antônio”, exibido 14/11, também às 20h. O texto é de Clarisse Abujamra com direção de Ivan Abujamra Filho, que também interpretam a peça.

Os ingressos são gratuitos e limitados, disponíveis no Instagram. Aliás, clientes do programa Vivo Valoriza contam com cota especial de convites.

“Acreditamos que por meio do Teatro Vivo e do perfil no Instagram, podemos contribuir e promover uma reflexão sobre questões relacionadas aos temas de gênero, raça, pessoa com deficiência e LGBTI+”, explica a diretora de Imagem Comunicação da Vivo, Marina Daineze.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here