Foto: Gabriela Schmidt

 “Correntes”, primeira faixa do próximo projeto audiovisual de Priscilla Alcantara, dá o recado de uma nova fase da cantora. Com estética e linguagem diferentes de tudo que ela já fez, a musica escrita pela própria Priscilla e por Lucas Silveira, também produtor de seu próximo trabalho, é resultado do processo de reflexão da trajetória da artista e marca, de forma bem nítida, seu flerte com o novo.

“  “Correntes” foi a faixa escolhida pra gente iniciar o projeto do meu novo álbum, que tudo indica que vai ser lançado no começo de 2021. Eu escolhi essa música porque ela carrega uma mensagem que dita muito o curso das coisas pra mim a partir de agora. E deixa uma mensagem muito importante de toda a minha jornada até aqui e de como eu vou caminhar a partir daqui.  “Correntes” fala sobre alguém que atingiu a maturidade de, antes de valorizar a expectativa ou a opinião alheia, valoriza quem é e o que nasceu pra fazer”.

Priscila conta, “Essa música inaugura a minha estética assumidamente Pop, que é o meu novo álbum, a estética e a linguagem dele, e nessa canção, eu quis realmente deixar isso bem definido e já bem dito pro meu público. É um lugar onde eu sempre quis chegar, nessa estética, nessa beleza, trazendo verdade e eu tô muito orgulhosa do que a gente conseguiu também esteticamente. Eu tô trazendo até mesmo dança, que é uma coisa que eu sempre fiz, sempre dancei, mas nunca consegui adicionar nos meus projetos”, completa.

“Correntes” estreia acompanhada de um poderoso clipe, que traz na dança, na arte e na moda o discurso da canção. Aliás, o vídeo é carregado de referências Pop, além disso, o  figurino, de Juliana Bordin, ajuda a construir a narrativa da canção.

A identidade visual de “Correntes” também aponta, certamente, para novos rumos na carreira de Priscilla Alcantara. O ensaio fotográfico, de Gabriela Schmidt, marca o início do projeto, trazendo inspirações retrô e apostando em cores e estampas vibrantes.

“Eu nunca me senti tão plena na minha identidade e no meu propósito, eu nunca me senti tão livre pra ser quem eu nasci pra ser e pra fazer o que eu nasci pra fazer. E “Correntes”, de todas as faixas desse álbum, era a que mais representava esse meu estado atual. Essa canção dita muito o passo que eu tô dando agora e eu tô muito feliz de ter chegado num nível de maturidade e liberdade pessoal pra pode fazer isso através da minha arte”, conta ela.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here