História ficou conhecida pelo radialista Gareth Malone, com a popular série de televisão da BBC “The Choir: Military Wives”.

Em Unidas Pela Esperança, a vida na Base Militar de Flitcroft muda drasticamente quando um grupo de soldados em serviço ativo é enviado para o Afeganistão. Enfrentando seis meses de separação e incerteza, as mulheres que ficam em casa buscam procurar consolo e sororidade entre si.

Este agradável filme, por incrível que pareça é inspirado em fatos reais, Unidas Pela Esperança, mostra como a formação do primeiro coral de esposas militares, ajudou umas às outras neste que é um dos momentos mais difíceis de suas vidas. O longa que é baseado na história real conta a história dessas mulheres que formaram o primeiro Coral de Esposas de Militares, na base do exército de Catterick, no norte de York, no Reino Unido.

Kristin Scott Thomas está esplêndida como a frágil esposa do coronel Kate, estoicamente de luto pela perda de seu amado filho Jamie, que seguiu seu pai para o exército. Quando seu marido, cada vez mais distante, Richard, parte para o Afeganistão para mais uma missão, cabe a Kate preencher o vazio desempenhando um papel mais ativo com os cônjuges e parceiros deixados para trás na base. Enquanto isso, Lisa ( Sharon Horgan) encontra-se encarregada das novas responsabilidades da base.

Aparentemente, o filme lembro um pouco Adoráveis Mulheres, até que alguém sugere um grupo de cantores, uma grande ideia que coloca a inclinada Kate em rota de colisão com a mais livre pensadora Lisa, porém, em vez disso, ela faz com que o grupo experimente os clássicos dos anos 80, aliás, é interessante perceber como as personagens se identificam com a musica, para o horror de Kate.

No entanto, tudo começa a se encaixar, e a perspectiva dessa banda desordenada se apresentando em público imediatamente aparece como um lindo relógio liderado por duas excelentes atuações de Kristin Scott Thomas e Sharon Horgan. Quanto a trama, ela traz uma mistura de realismo, com música e humor tornam em uma experiência comovente.

O produtor Rory Aitken foi apresentado a este fenômeno através do radialista Gareth Malone, com a popular série de televisão da BBC “The Choir: Military Wives”, que documentou a criação do segundo coro de esposas de militares, em 2011. “Isso me emocionou de uma forma totalmente inesperada”, diz Aitken.  Já o diretor Peter Cattaneo , admite que chegou ao projeto sem saber quase nada sobre as vidas das famílias dos militares em serviço.  Agora, esse pequeno grupo de mulheres atende a mais de 2300 pessoas em todo o Reino Unido e em suas bases militares no exterior.

“A roteirista Rachel Tunnard se encontrou e conviveu com um grupo de esposas para obter detalhes e histórias sobre o mundo delas”, diz Cattaneo, que completa, “Nós conhecemos algumas esposas de militares muito corajosas e sinceras, que compartilharam histórias pessoais muito humildes, às vezes angustiantes e muitas vezes hilárias”.

Unidas Pela Esperança chega nos cinemas a partir de 14 de janeiro.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here