Para promover uma experiência ainda mais completa para os cariocas e turistas, o Bondinho Pão de Açúcar e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) firmaram um acordo de cooperação técnica, em 05 de maio de 2021, para a criação do ‘Circuito Histórico do Bondinho Pão de Açúcar’. O percurso receberá uma chancela de reconhecimento nacional do Instituto, autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo.

A iniciativa, que tem como objetivo abordar o caráter histórico-cultural da cidade, contará com um trajeto a ser percorrido pelos visitantes ao longo dos mirantes do Bondinho Pão de Açúcar, que serão rebatizados e estarão repletos de conteúdos com contextualizações históricas sobre o bem cultural e o ambiente em que se insere, além de destacar a trajetória de inovação tecnológica do primeiro teleférico das Américas.

Para o CEO do Bondinho Pão de Açúcar, Sandro Fernandes, a parceria inédita é uma forma de tornar ainda mais rica a experiência dos visitantes. “A história do Bondinho Pão de Açúcar se mescla com a história da cidade do Rio de Janeiro. O Circuito Histórico do Bondinho Pão de Açúcar promoverá enriquecimento cultural e histórico para todos os visitantes que passarem pelo parque. Esta iniciativa é mais uma oportunidade de, através do conhecimento, inspirar felicidade em todos que se conectam conosco”, comenta Sandro.

Referência no setor de turismo, a notoriedade do Bondinho Pão de Açúcar é refletida em números do setor, uma vez que é o segundo ponto turístico mais visitado do Rio de Janeiro. Desde sua fundação, em 1912, mais de 46 milhões de pessoas já visitaram o parque. Idealizado pelo engenheiro Augusto Ferreira Ramos, o Bondinho Pão de Açúcar foi o terceiro teleférico a funcionar no mundo. Na época, só existiam dois similares; na Espanha e na Suíça. O teleférico carioca superou os dois em tamanho e é hoje o mais antigo teleférico em operação no mundo, com o ponto mais alto a 396 metros acima do nível do mar.

Para o superintendente do Iphan no Rio de Janeiro, Olav Schrader, o acordo reflete a notoriedade do Bondinho Pão de Açúcar para o panorama turístico, cultural e ecológico do Brasil. “O Bondinho Pão de Açúcar é um símbolo não só carioca, como também do nosso país. Este acordo inédito vai alavancar o turismo através da experiência e da interpretação deste patrimônio histórico e paisagístico. Esperamos que este circuito se torne não apenas um indutor de geração de empregos e de inclusão social, mas que este monumento do pioneirismo da engenharia brasileira se torne também uma fonte de autoestima para todos”, avalia.

Tombado pelo Iphan em 08 de agosto de 1973 por sua importância na composição da paisagem cultural do Rio de Janeiro, o Complexo do Pão de Açúcar também é reconhecido como Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) desde 2012. O monumento integra o sítio ‘Rio: Paisagens Cariocas entre a Montanha e o Mar’, primeira área no mundo a ter reconhecido o valor universal da sua paisagem urbana.
“Este acordo enriquece a experiência do visitante e contribui para a valorização desse Patrimônio Cultural tão querido pelos cariocas e turistas. Vamos dar destaque à história, ainda pouco conhecida, deste marco do pioneirismo nacional”, destaca a presidente do Iphan Larissa Peixoto.

A partir da celebração do contrato, serão desenvolvidos estudos para selecionar mirantes e conteúdos a serem incorporados ao circuito. A previsão de término das instalações é para o segundo semestre de 2021. O Circuito Histórico do Bondinho Pão de Açúcar estará disponível para todos os visitantes que adquirirem o bilhete do parque.

O Bondinho Pão de Açúcar adota um rígido protocolo de segurança sanitária de combate à Covid-19 em seu funcionamento. Dentre as principais medidas, a máscara é item obrigatório, podendo ser retirada apenas no momento das refeições e desde que o distanciamento social seja mantido. Dispensers de álcool em gel são disponibilizados ao longo de todo o parque e a medição de temperatura é feita a todos na entrada. Além da demarcação do espaço de distanciamento físico nas filas, os bondes operam com capacidade reduzida e são sanitizados a cada viagem.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here