No próximo dia 30 de junho, às 20h, estreia mais um concerto inédito da Temporada 2021 da Orquestra Sinfônica Brasileira. Desta vez, a apresentação fica por conta do Quinteto de Sopros, que interpretará obras de Amaral Vieira, Percy Grainger, Alexander von Zemlinsky, e Modest Mussorgsky. O concerto, que ainda não conta com a presença de público, será veiculado nas páginas da OSB no Facebook e no Youtube.

Tiago Meira (flauta), Jorge Postel (oboé), Marcio Costa (clarinete), Felipe Destéfano (fagote) e Josué Soares (trompa) compõem o Quinteto de Sopros que executará as peças do programa.

Abrindo a apresentação, uma obra do pianista, compositor e musicólogo paulistano José Carlos Amaral Vieira. “Piccolo Divertimento para Quinteto de Sopros, op. 111” é uma de suas mais de 500 composições, que contemplam diversas formações musicais. Amaral Vieira estudou piano e composição no famoso Conservatório de Paris, ganhou diversos prêmios internacionais, tanto como intérprete como compositor, e já se apresentou em países de todos os continentes.

Na sequência, o Quinteto de Sopros da OSB apresentará “Humoreske”, do austríaco Alexander von Zemlinsky. Composta em 1939, é uma divertida peça em forma de rondó, das poucas compostas por Zemlinsky para pequenos grupos musicais. Foi escrita para ser usada no ensino de instrumentos de metal, mas seu alto nível a tornou mais adequada para concertos de música de câmara. Quando muito jovem, o compositor teve seu trabalho elogiado por Brahms e, mais tarde, foi incentivado e auxiliado por Gustav Mahler.

“Walking Tune”, do americano Percy Grainger dá seguimento ao programa. O compositor tinha apenas 18 anos quando compôs a peça, cujo tema era o assobio que acompanhou seus passos quando fez uma longa caminhada de três dias pela Escócia. Só em 1940 Graiger utilizou esse tema para compor uma versão definitiva da obra.

Encerrando o programa, uma obra do compositor russo Modest Mussorgsky. Composta em 1874, “Quadros de uma exposição” teve inspiração em uma mostra do pintor Viktor Hartman, realizada em São Petersburgo. A peça consiste em uma homenagem de Mussorgsky ao pintor, seu grande amigo, que falecera recentemente. Suas dez partes correspondem a dez quadros escolhidos pelo compositor. A peça ficou famosa em sua versão feita para orquestra por Maurice Ravel, em 1922.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here