Priscilla Alcântara celebra a nova fase com o lançamento de “Tem Dias”, novo single do projeto que marca sua entrada de vez no Pop. Composta pela artista, em parceria com Lucas Silveira e Karen Jonz, a faixa chega acompanhada de clipe gravado no Pavilhão da Bienal no Parque Ibirapuera.

A cantora desenvolveu um álbum com 10 músicas, gravado totalmente em home-office, improvisando um estúdio na própria casa. Aliás,o projeto foi composto e produzido em parceria com Lucas Silveira, da Fresno.

“ “Tem Dias” é o início do nosso storytelling. Marca, certamente, minha transição artística para o cenário Pop”, diz Priscilla que explica, “É uma música que tem uma letra bem pessoal, mas que muita gente também pode se identificar e, apesar da letra ser mais introspectiva (escrevi durante a pandemia, no meio de uma crise existencial), ela também tem uma sonoridade boa pra curtir; é um Pop leve, mas chiclete! Os vocais são inspirados na soprosidade de Mariah Carey, por exemplo”.

O vídeo segue a estética POP, com grande produção, diversos figurinos e uma mensagem para compor a música. A ideia foi colocar a artista dentro de uma exibição buscando referências para seu novo momento.

Esta nova Era que se inicia foi criada com muita expectativa. Nos últimos dias, Priscilla publicou em suas redes sociais como é ser uma #AprendizDoPop, procurando dicas, afirmações e encontrando seu próprio caminho para trilhar da forma que acha mais coerente, sem abrir mão de suas convicções e crenças. Ao todo, os teasers alcançaram mais de 2.5 milhões de visualizações, número expressivo para ações antes do lançamento.

Priscilla conta mais sobre o projeto e a nova faixa. “Os singles que vêm depois são mais românticos, mas era legal deixar claro pro público que eles ainda podem me reconhecer nessa nova fase. Letras pessoais são uma característica minha que eu não pretendo abandonar. ‘Tem Dias’ também marca minha fase colaborativa, Lucas Silveira e Karen Jonz escreveram essa comigo. Eu mandei um poema pra eles, que me devolveram o texto em formato de música pop. Daí eu finalizei os versos e pronto! Fiquei muito feliz com o resultado”.

Lucas deu detalhes de como foi este trabalho: “Eu e a Priscilla já tínhamos feito boa parte do disco, e a Karen estava na sala ao lado compondo uma ideia e eu lembro de ter falado para ela algo tipo ‘OPA, quero ouvir isso aí’. A música versa sobre um assunto que não é exatamente meu lugar de fala, mas que acontece em alguma escala com qualquer pessoa. O culto à imagem sempre existiu, mas em tempos de Instagram isso virou algo muito cruel com todos nós. Scrollar uma tela de telefone por alguns minutos pode nos dar uma ansiedade muito nociva. É bem normal perdermos a noção de quem somos de verdade, se ficarmos residindo apenas naquele espaço virtual e idealizado ali”.

Karen Jonz também comentou sua participação no single, “Eu estava escrevendo meu primeiro EP, que é um apanhado de músicas um tanto sombrio e triste, mas tinha essa música no meio, que ainda era apenas uma ideia de melodia. Quando o Lucas me pediu alguma ideia para dar pra Priscilla, eu decidi ver no que dava com essa minha demo. Eu quase não reconheci a música quando ela voltou! A Pri entendeu a minha ideia e trouxe uma nova cor para a música”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here