Foto: Victor Aragão

Com a pergunta “Infância é tudo igual?” a produção ‘Conto de Quem Sonha – um espetáculo teatral’ faz quatro únicas apresentações, nos dias 25 e 26 de setembro, às 14h e às 17h no teatro Armando Gonzaga, em Marechal Hermes (RJ). A peça será apresentada a preço popular, inteira 20 e meia 10 reais, e seguindo o Protocolo de Segurança Sanitária da FUNARJ.

 Tem muito lugar e criança diferente nesse mundo, mas todas elas sonham, imaginam e desejam alguma coisa! No interior do país, uma criança que adora brincar com os irmãos Céu e Chão, vai conhecer algo que não imaginava que existia. Na cidade grande, uma criança já morou em tanto lugar que decidiu que mora é com a sua irmã e com seu melhor amigo, um rádio de pilha. Será que dá pra chamar lugar de lar? Através de brincadeiras, música e imaginação, vamos descobrir essas histórias juntos?

Apesar de ter como público inicial as crianças, a temática do espetáculo pode ser entendida, absorvida e debatida por pessoas de diferentes faixas etárias. “É uma produção para crianças de todas as idades, para jovens, adultos e idosos, para pessoas que sonham e que tem saudade e amor pela infância. Dessa maneira lúdica, debatemos sobre a desigualdade social, a má distribuição de renda e de falta de oportunidades no nosso país. Temos muitas crianças que não são tratadas como e nossa peça vem para tentar mostrar que elas ainda são crianças, mesmo que a sociedade não as veja assim” – ressalta Catein sobre os temas debatidos.

“Quando pensamos em brincadeiras de infância, vemos que a musicalidade está sempre entrelaçada com esses momentos. No ‘Conto de Quem Sonha – um espetáculo teatral’ a música aparece dessa forma, como uma representante da brincadeira no cotidiano das crianças. As personagens cantam em cena como se essas músicas fossem compostas por elas no dia a dia – algo para trazer cor e alegria para o que se vive sempre”,  finaliza Clara que assina a dramaturgia da história.

A ideia da peça, idealizada por Clara Equi e Alain Catein, nasceu quando a dupla viajava pelo Brasil com o espetáculo infantil ‘Curupira’, da Cia Boto Vermelho.

“Eu e Clara estávamos em viagem pelo Brasil com essa produção e nessas viagens tivemos contato com crianças do país inteiro e entramos em um debate sobre a “geografia da infância”. Daí, nasceu a ideia de falar um pouco sobre as infâncias que são invisibilizadas, que não ganham espaço. Reunimos elenco, ensaiamos e pesquisamos juntos. Até que o projeto foi selecionado pelo edital Prêmio FUNARJ de Montagem Teatral, e chegamos no formato da peça: contando história de crianças bem diferentes, que sonham e que ainda são só crianças”, explica Alain.

SERVIÇO
Temporada 25 e 26 de setembro
Dias e horários: sábado e domingo às 14h e às 17h
Duração: 60 minutos
Classificação: livre
Teatro Armando Gonzaga
Av. Gen. Osvaldo Cordeiro de Farias, 511 – Mal. Hermes

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here