Igreja da Ordem Terceira
Foto: Vitor Souza Lima

Uma joia do barroco brasileiro, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência será o palco do próximo concerto do FIMA – Festival Interativo de Música e Arquitetura, evento que convida o público a viver uma experiência imersiva que une música e arquitetura em construções emblemáticas da cidade do Rio de Janeiro.

No dia 25 de março, às 13h, o trio formado pelos músicos Rosana Lanzelotte (cravo), Thomaz Soares (violino) e Marcus Ribeiro (violoncelo) se apresentará na construção que encanta pela profusão de sua talha folheada a ouro, por sua ornamentação deslumbrante e pelo ilusionismo singular de suas pinturas. A apresentação musical será intercalada pelos comentários da historiadora da arte Janaína Ayres. O FIMA é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O programa terá início com Johann Sebastian Bach, um ícone da música barroca, cujo aniversário de nascimento é celebrado no mês de março. Seu “Trio Sonata”, datado de 1720, harmoniza perfeitamente com o esplendor dos entalhes inteiramente recobertos de ouro, que se evidenciam com a luz que penetra pelo óculo da igreja. Certamente, uma luz que produz a atmosfera cambiante de claro-escuro típica do barroco, clareando também a pintura ilusionista de sua abóbada. No centro de seu forro é possível observar uma cena celestial que dialoga com mais uma música de J.S. Bach: “Siciliano”, do seu concerto para cravo BWV 1053. As harmonias cambiantes, deste movimento lento, exuberante e misterioso fazem um belo contraponto com este teto em “trompe l’oeil” da igreja – uma técnica artística que, por meio da perspectiva, cria uma ilusão ótica que faz com que formas de duas dimensões aparentem possuir três. O Siciliano foi uma forma musical popular na época e é baseada em uma dança e uma coreografia pouco conhecida que era descrita por evocar sentimentos pastorais e melancólicos.

A segunda parte do concerto será dedicada a um capítulo importante da história, os 200 anos da Independência do Brasil, e lembrará os personagens que passaram pelo local e lá foram sepultados. O programa transportaremos o público àquela época, com duas obras do aluno predileto de Joseph Haydn, Sigismund Von Neukomm – compositor austríaco, que desembarcou no Rio em 1816, na trilha da Missão Artística Francesa. Primeiro, será executada a “Sonata para pianoforte e violino”, composta um ano depois de sua chegada ao Brasil. Em seguida, a “Sonata para pianoforte e violino”, de 1819. Mestre de música de Dona Leopoldina e D. Pedro I, sua influência fez do imperador do Brasil um compositor. E será dele a peça que encerra este concerto, o Hino da Independência, de 1822.

Além dos concertos presenciais, o FIMA também oferece um rico e inédito conteúdo nas redes. Websérie, podcast e concertos on-line estão na programação do FIMA DIGITAL. Saiba mais em fima.art.br.

SERVIÇO:
I FIMA | Festival Interativo de Música e Arquitetura
Dia 25 de março (sexta-feira)
Horário: 13h
Local: Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência (Rua da Carioca, nº 5 – Centro, Rio de Janeiro)
Entrada Gratuita
Livre

A  primeira edição do FIMA – Festival Interativo de Música e Arquitetura chegará ao fim no  dia 28 de junho. No palco, a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, a soprano Angelica de la Riva e o barítono Homero Velho se apresentarão no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here