Patrocinado pelo Atacadão e viabilizado pelo Ministério do Turismo, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, a Cia Truks apresenta no projeto “O Surpreendente Mundo dos Objetos”, o espetáculo “Sonhatório” em municípios dos Estados do Rio de Janeiro e Paraná.

Em “Sonhatório”, é hora do almoço no Sanatório Boa Cabeça. Sentam-se à mesa para a refeição três supostos loucos. Porém, não há nada para comer ou beber. Para passarem o tempo, os amigos resolvem brincar com os objetos que têm à sua volta. É então que partem para uma deliciosa viagem pela imaginação, que os levará para áridos desertos, para o fundo do mar e para longínquos planetas. Incríveis e criativos personagens feitos de guardanapos, bacias, copos, garrafas pet, sacolas plásticas, talheres e pratos os acompanharão por suas “superaventuras”. Após finalmente almoçarem, revela-se ao público a surpresa: eram eles de fato os loucos, ou são loucos aqueles incapazes de brincar? Nossos amigos oferecem ao público um dos melhores remédios para tudo: a possibilidade da construção de uma vida mais saudável, feita da sincera amizade, e de muito bom humor. Eles transformam o que seria um sanatório em um… sonhatório!

Nesta peça, a Cia Truks utiliza a técnica de teatro conhecida por “Teatro de Objetos”, ou então, como gostam de chamar, à maneira Truks, de “Teatro Com Objetos”. Aqui, o uso cotidiano do objeto é mudado para construir nossas criaturas, ou simbolizar personagens. Uma colher de pau se transforma em uma cozinheira, um algodão pode ser um pintinho, ou, então, uma simpática vaquinha é construída com canecas e um cantil.

Henrique Sitchin conta que o procedimento tem clara e direta relação com o que o educador Jean Piaget definiu como ‘jogo simbólico’. “É uma forma de comparação que as crianças encontram para entenderem o mundo ao seu redor, bem como fortalecerem a sua individualidade. A criança, pela pouca experiência de vida, não tem repertórios para fazer comparações e ou entendimentos racionais, elaborados, de certos assuntos. Então, para isso, elas usam do artifício do jogo simbólico: brincam de ser como o papai, para entenderem, na prática, que são necessárias regras de convívio; brincam de boneca para experimentarem ser como a mamãe; empenham uma espada para sentirem-se fortes como os príncipes e os heróis, conversam com bichinhos imaginários, são capazes de enxergar vida onde não há vida. Passam a conhecer a si mesmas e, a partir daí, terão subsídios também para começar o processo de identificação do outro – prática fundamental para o convívio em sociedade”.

Serviço
Dias 4 e 5/4 – às 10h e às 14h | CIEP 489
Rua dos Tupis, 50, Cidade Alegria Resende (RJ)
Dia 6/4 | às 8h, às 9h30, às 13h30 e às 15h30 | ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR WLADIR DE SOUZA TELLES
Rua Trinta e Cinco, S/Nº, Jardim Vila Rica – Volta Redonda (RJ)
Duração: 45 min
Classificação indicativa: Livre
GRATUITO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here