Rita Benneditto
Foto: Rogerio Von Kruger

Após sua passagem arrebatadora pelo Carnaval carioca na escola campeã Grande Rio, a cantora Rita Benneditto retorna ao palco do Teatro Claro Rio, com seu aclamado show “Tecnomacumba”, em única apresentação.

O ano de 2003 representa, certamente, um marco na vida de Rita Benneditto!. Na ocasião, a cantora maranhense estreava um show no qual jogava luz sobre aspectos da nossa ancestralidade e que muito dizem da nossa identidade enquanto cultura e nação. O show era o “Tecnomacumba”, aliás, o nome não poderia ser mais apropriado.

No repertório, pontos e rezas ligados às religiões de matrizes africanas mesclados a temas da MPB, de autores como Gilberto Gil e Jorge Ben, em que entidades-símbolos da nossa fé são louvados/evocados. Tudo isso apresentado com arranjos modernos, em roupagem eletrônica, que saía então dos clubes e ganhava de vez as pistas mundo afora.

A iniciativa rendeu frutos: três os registros, um de estúdio e dois ao vivo, sendo um deles em DVD), o show já foi visto até em Dakar, no Senegal, além disso, rendeu prêmios como o Rival Petrobras (show) e o da Música Brasileira (melhor cantora).

Com o show, Rita provou que o elo que une a MPB à musica eletrônica tem como alicerce o bater dos tambores, cujos ecos reverberam para além dos terreiros, passando pelas patuscadas e rodas de samba (de roda) que animam os fundos de quintal de aqui, no Recôncavo ou nos rincões do Brasil. Acontece que um show é também um organismo vivo.

Ao longo desse tempo, “Tecnomacumba não se manteve estático”, o show amadureceu, assim como sua intérprete, e possibilitou a ela experimentar, ousar e, por que não, reinventar-se em muitos aspectos.

A longevidade desse bem-sucedido projeto pode ser explicada a partir da junção de alguns fatores cruciais. O primeiro deles com certeza é a perseverança. Da artista, dos músicos e da equipe por ele responsável. Aliás, perseverança essa que ganhou da crítica a acolhida necessária para seguir adiante.

Entre os colegas ilustres que reconhecem o talento da artista está o cantor e compositor Caetano Veloso. No texto escrito para o DVD do show, o baiano não só destaca as qualidades vocais da intérprete como confirma sua fama de visionário ao prenunciar: “Este disco tem um futuro intrigante e pode vir a dizer mais do que parece agora”. Caetano tinha (e tem) razão. O projeto não só disse como diz ainda muito sobre um país que não pode ser perdido, apagado. Ainda mais (e sobretudo) no Brasil de agora.

SERVIÇO:
Rita Benneditto -“Tecnomacumba”
Local: Teatro Claro Rio (Rua Siqueira Campos, 143 – 2º piso – Copacabana).
Dia: 21 de maio – sábado
Horário: 21h
Ingressos pela Sympla 
Classificação: 18 anos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here