BIBI
Foto: Ariel Venâncio.

“Não consigo lembrar de mim fora de um teatro”. Assim se descrevia Bibi Ferreira, 96 anos de vida e 76 como atriz, cantora, diretora e produtora.

Unanimidades costumam ser questionadas, mas há belezas de tal vigor que se impõem acima das diferenças. Bibi Ferreira é uma estrela! Figura, certamente, importante na história do teatro brasileiro, em 2022, celebra o centenário desta mulher icônica e além do seu tempo.

Sua trajetória é novamente contada nos palcos, com ‘BIBI, uma vida em musical’. Para celebrar o centenário daquela que é, para muitos, o maior nome do teatro brasileiro de todos os tempos. “BIBI, uma vida em musical” tem texto de Artur Xexéo e Luanna Guimarães, e direção geral de Tadeu Aguiar. Confira entrevista com o diretor!

Amanda Acosta volta a viver Bibi, em interpretação super premiada (Melhor atriz 2018 – APCA, Bibi Ferreira, Reverência, Cesgranrio, entre outros). Aliás, o musical tem uma trajetória vitoriosa: 44 prêmios e 110 indicações.

 A trajetória pessoal e profissional dessa estrela brasileira só poderia ser contada e celebrada nos palco teatrais. Em “BIBI, uma vida em musical”, a história familiar, profissional e amorosa da artista se enredam. Assim, o musical percorre todas as fases da vida de Bibi, da escolha do seu nome, sua preparação para os palcos, os espetáculos musicais como os inesquecíveis ‘Gota d’Água’, de Paulo Pontes e Chico Buarque, ‘My Fair Lady’, ‘Alô Dolly’ e ‘Piaf, a Vida de Uma Estrela da Canção’, seus casamentos, o nascimento da filha única, Tina Ferreira, as viagens para Portugal e Inglaterra a trabalho, a homenagem da escola de samba Viradouro até sua chegada a um teatro da Broadway, aos 90 anos.

O espetáculo celebra ainda o legado de Artur Xexéo, que partiu no ano passado. Um dos maiores jornalistas brasileiros, autor de grandes espetáculos, era fã confesso e avaliou a importância de Bibi Ferreira na profissionalização do ator no Brasil, em relação ao seu ofício. “No teatro musical, ela foi, sem dúvidas, a primeira atriz brasileira pronta para o gênero. Antes dela, havia as vedetes de revista, não necessariamente atrizes”, diz o coautor do texto.

Sob direção musical de Tony Lucchesi (‘A Cor Púrpura’, ‘Eu não posso lembrar que te amei–Dalva e Herivelto’) o elenco interpreta 33 canções. Cinco delas foram criadas especialmente para o espetáculo, com letra e música de Thereza Tinoco, que já teve composições gravadas por Simone, Ney Matogrosso, Lucinha Araújo, entre outros.

Serviço
Temporada: 03 de junho a 31 de julho
Teatro Riachuelo (Rua do Passeio 38 – Centro)
Sexta- 20h / Sábado – 16h e 20:30h / Domingo – 18h
Ingressos pela Sympla

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here